Buscar

Medo, afetividades e subjetividades na forma de ocupar a cidade sob o olhar das mulheres; para uma melhor experiência sensorial utilize fones de ouvido

Vídeo
Assistir vídeo
25 de junho de 2018
10:52
Este artigo tem mais de 5 ano

Nas grandes cidades brasileiras, as mulheres não ocupam o espaço urbano da mesma forma que os homens, por medo da violência de gênero. Tendem a evitar lugares como becos, pontes e passarelas, pensam horários e roupas antes de sair de casa e fazem desvios em seus caminhos, enquanto essas não são preocupações masculinas. Este medo, assim como as afetividades e a subjetividade na forma de ocupar a cidade, dão a tônica ao documentário.

Foram gravadas entrevistas com mulheres cis, trans, homens trans, mulheres brancas, negras, migrantes, deficientes visuais e cadeirantes e uma pesquisa online com 2590 respostas trouxe dados impressionantes como o de que 89% das mulheres não anda em becos e 93% evita andar a noite pela cidade.

“Sob Constante Ameaça” cria um suspense contínuo – vivenciado pelas mulheres em suas rotinas reais e traduzido na fala de uma delas: “Uma das coisas que é muito comum, é eu não saber se vou voltar inteira pra casa”. O filme possui planos que podem ser vistos tanto na perspectiva das personagens quanto na de um possível agressor, colocando o expectador em um lugar de tensão.

Precisamos te contar uma coisa: Investigar uma reportagem como essa dá muito trabalho e custa caro. Temos que contratar repórteres, editores, fotógrafos, ilustradores, profissionais de redes sociais, advogados… e muitas vezes nossa equipe passa meses mergulhada em uma mesma história para documentar crimes ou abusos de poder e te informar sobre eles. 

Agora, pense bem: quanto vale saber as coisas que a Pública revela? Alguma reportagem nossa já te revoltou? É fundamental que a gente continue denunciando o que está errado em nosso país? 

Assim como você, milhares de leitores da Pública acreditam no valor do nosso trabalho e, por isso, doam mensalmente para fortalecer nossas investigações.

Apoie a Pública hoje e dê a sua contribuição para o jornalismo valente e independente que fazemos todos os dias!

apoie agora!

Quer entender melhor? A Pública te ajuda.

Faça parte

Saiba de tudo que investigamos

Fique por dentro

Receba conteúdos exclusivos da Pública de graça no seu email.

Artigos mais recentes