Agência de Jornalismo Investigativo

Especial Catraca

Nossa equipe passou cinco meses investigando a cadeia de propriedades das empresas que comandam os coletivos na capital fluminense. Entre as descobertas, sociedades que se repetem, contas em bancos offshores e o possível uso de imobiliárias para maquiar lucros.

Produto do quarto LAB de experimentação narrativa realizado na Casa Pública, no Rio, o Especial Catraca tem ilustrações da artista Biba Rigo.

Baixe o nosso aplicativo e descubra quem é o dono do seu ônibus – e se ele é investigado pela Lava-Jato: https://apublica.org/donosdoonibusrj/

Neste especial

Auditoria inédita mostra prefeitura à mercê dos empresários de ônibus no Rio

11 de setembro de 2017 | por

A Pública teve acesso com exclusividade ao diagnóstico da PwC que a prefeitura tentou esconder. Estudo detalha ineficiência do sistema de ônibus e dá caminhos para redução da tarifa

O fiasco das CPIs dos ônibus no Rio de Janeiro

1 de agosto de 2017 | por e

Enquanto a investigação dos vereadores em Niterói desvendou indícios de fraude das empresas, a do Rio morreu na praia. Em ambas, os políticos protegeram empresários hoje presos pela Lava Jato

Imobiliárias podem mascarar sobrelucro de empresários de ônibus

1 de agosto de 2017 | por

Denunciada pela CPI dos Ônibus de Niterói, Guanabara Participações, de Jacob Barata, também é proprietária de garagem no Rio de Janeiro

O BRT não resolveu

3 de agosto de 2017 | por , e

No mesmo dia em que o secretário de Obras de Eduardo Paes, Alexandre Pinto, é preso pela Lava Jato, contamos por que o BRT segue inacabado, subaproveitado e com uma passagem mais cara do que deveria

Exclusivo: O que revela (e o que esconde) a auditoria oficial dos ônibus no Rio

4 de agosto de 2017 | por e

Empresa internacional PwC fez milionário levantamento dos problemas do transporte com dinheiro público, mas secretário de Marcelo Crivella decretou sigilo dos resultados para evitar transparência

As offshores dos empresários de ônibus presos na Lava Jato

7 de julho de 2017 | por

Presos esta semana, Jacob Barata Filho e João Augusto Morais Monteiro – presidente da Rio Ônibus – tiveram suas contas bancárias em paraísos fiscais vazadas no Panama Papers

Muito além dos Barata

9 de agosto de 2017 | por

Com base em dados da Receita Federal, identificamos os proprietários das empresas que formam os consórcios de ônibus no Rio. Conheça a história de alguns deles.

Presidente da Comissão de Transporte da Assembleia do Rio é sócio de diretor da Fetranspor foragido

4 de julho de 2017 | por

Marcelo Simão (PMDB) é dono de imobiliária em São João de Meriti (RJ), junto com José Carlos Reis Lavouras e família. O deputado comanda a Comissão de Transportes da Assembleia Estadual há dez anos.

Comentários

Mais recentes

Coleção Particular

27 de novembro de 2017

Produto do quarto LAB realizado na Casa Pública, este especial transmidia investiga o roubo de espaços públicos por agentes privados - muitas vezes com a conivência de governos.

Amazônia Resiste

7 de novembro de 2017

Uma ampla investigação jornalística sobre a resistência indígena em vários pontos da maior floresta tropical do mundo.

Microbolsas de Reportagem – Maconha

27 de Março de 2017

Investigações realizadas através do Concurso de Microbolsas de Reportagens.

Explore também

Cadê o bondinho de Santa Teresa?

1 de Fevereiro de 2012 | por

Nos preparativos para a Copa, os tradicionais bondinhos de Santa Teresa, no Rio de Janeiro, esperam uma solução. Moradores dizem que o sucateamento levou a acidente que matou seis pessoas em 2011

Exagerado, distorcido ou discutível

Mendonça e fosfoetanolamina. Não é bem assim!

26 de novembro de 2015 | por

“Entendo que a pesquisa [da fosfoetanolamina] deve estar à frente de tudo e que devemos ter cuidado com milagreiros. Mas, nesse caso específico, fiquei surpreso com tantas curas e resultados positivos”, afirmou Rogério Peninha Mendonça (PMDB-SC), deputado federal, no plenário, na terça-feira (24)

Para PM, réus do Carandiru não cometeram faltas

10 de Abril de 2014 | por

Depois de quase um ano de pedidos via lei de acesso à informação, pesquisadores da FGV obtêm documentos que revelam o olhar da corporação sobre os policiais envolvidos