Veja o vídeo produzido a partir de depoimentos de ex-colaboradores do exército. Muitos continuam calados por sofrerem ameaças até hoje.

Veja o vídeo produzido a partir de depoimentos de ex-colaboradores do exército. Muitos continuam calados por sofrerem ameaças até hoje.

20 de junho de 2011
14:08

Em três dias de pesquisa nos 149 volumes do processo judicial que investiga o desaparecimento dos guerrilheiros do Araguaia, a Pública coletou relatos de dezenas de moradores que foram obrigados a prender, enterrar, matar e decapitar guerrilheiros – e sofrem até hoje as consequências do que viveram nesse tempo.

 

Leia mais: Forçados a Matar

Leia mais: Apagando o Rastro

Leia mais: “O terrorismo de Estado persiste até hoje”, diz juíza

Seja aliada da Pública

Faça parte do nosso programa de apoio recorrente e promova jornalismo investigativo de qualidade. Doações a partir de R$ 10,00/mês.

Mais recentes

Prejuízo em cacho

19 de janeiro de 2020 | por

Petrobras enterra centenas de milhões de reais em projeto de biocombustível a partir do dendê - que não produziu nem um litro de óleo

O império de Isabel

19 de janeiro de 2020 | por

Como a filha do ex-presidente de Angola aproveitou o poder político do pai para, com empresas de fachada e informações privilegiadas, se tornar a mulher mais rica da África

Como o dinheiro desviado de Angola pelo governo corrupto veio parar na Paraíba

19 de janeiro de 2020 | por , e

Inquérito da PF obtido pela Pública acusa político próximo do ex-presidente angolano José Eduardo dos Santos e sua filha Isabel dos Santos de lavar dinheiro de corrupção no Nordeste