Buscar
Agência de jornalismo investigativo
Checagem

Com dado falso, post diz que ato pró-Bolsonaro reuniu 1 milhão em SP

Publicação foi feita pelo filho do presidenciável e candidato a deputado federal Eduardo Bolsonaro e cita como fonte a Polícia Militar, que desmente a informação

Checagem
1 de outubro de 2018
18:28
Este artigo tem mais de 5 ano
Manifestação a favor de Jair Bolsonaro (PSL) na Avenida Paulista no dia 30 de setembro: ato ocupou três quarteirões
Manifestação a favor de Jair Bolsonaro (PSL) na Avenida Paulista no dia 30 de setembro: ato ocupou três quarteirões

“Nunca imaginei que pudesse haver tantas pessoas na Av. Paulista num domingo de garoa à tarde apoiando JB [Jair Bolsonaro]. Segundo a PM foi 1 milhão de pessoas!!! Em nome de meu pai, muito obrigado pela força! O Brasil tem jeito!” – Eduardo Bolsonaro (PSL), candidato a deputado federal, em post no Facebook no dia 30 de setembro.

Falso

Vários protestos contrários e favoráveis ao candidato à Presidência pelo Partido Social Liberal (PSL), Jair Bolsonaro, ocorreram no último final de semana de setembro em diferentes cidades do país. Em São Paulo, manifestantes que se posicionam contra ao candidato reuniram-se no sábado, 29, no Largo da Batata e caminharam até a Avenida Paulista, passando pela Avenida Rebouças. No domingo, dia 30, ocorreu um ato que reuniu pessoas favoráveis ao político, na Avenida Paulista.

Os movimentos tiveram repercussão nas redes sociais. Eduardo Bolsonaro, filho do deputado federal, postou em seu Facebook a informação de que 1 milhão de pessoas compareceram à manifestação favorável a seu pai, segundo a Polícia Militar. A postagem foi acompanhada de fotos dos manifestantes na Avenida Paulista e teve 129 mil compartilhamentos até as 18 horas do dia 1º de outubro. A informação também foi publicada pela página “Mulheres A FAVOR de Jair Bolsonaro”, responsável pela organização do evento. O Truco – projeto de fact-checking da Agência Pública – analisou o caso e concluiu que a afirmação é falsa.

A Polícia Militar de São Paulo não divulgou informações a respeito do número de pessoas que compareceram aos atos do fim de semana – nem no sábado, nem no domingo. O candidato, autor da postagem, não respondeu ao questionamento do Truco sobre a fonte da informação. Os organizadores também não divulgaram estimativa sobre o número de pessoas.

No Facebook, eventos reunindo pessoas para a manifestação em apoio ao candidato do PSL em São Paulo não ultrapassaram 30 mil pessoas interessadas ou com presença confirmada. O maior deles, organizado pela página “Fatos Relevantes” ligada ao site de Jair Bolsonaro, contava com 6,2 mil confirmados e 20 mil interessados. Outro evento, realizado pelas páginas “Bolso Mulher”, “Direita São Paulo”, “São Paulo conservador” entre outras, convocava pessoas para a manifestação no domingo usando a hashtag #1milhãonaPaulistacomBolsonaro, mas contava com apenas 15,4 mil confirmados ou interessados. Já a página “Mulheres A FAVOR de Jair Bolsonaro”, que possui cerca de 300 mil curtidas ou seguidores, não criou nenhum evento convocando seus participantes.

Segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, os manifestantes ocuparam 3 quarteirões da Avenida Paulista na altura do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (Masp) na manifestação pró-Bolsonaro no domingo. Fotos do evento confirmam essa estimativa. Segundo a ferramenta MapChecking, a zona em questão possui 22.375 metros quadrados e, em densidade máxima de ocupação (7 pessoas por metro quadrado), pode conter 155,6 mil pessoas. Ou seja, é impossível que as três quadras da Avenida Paulista tivessem sido ocupadas por 1 milhão de manifestantes.

Manifestação contra Bolsonaro

O principal evento relacionado à manifestação contrária a Jair Bolsonaro, realizado no sábado, possuía 322 mil pessoas confirmadas ou interessadas. Já o grupo ligado à organização do ato contava com 3,8 milhões de pessoas até a publicação da checagem.

Apesar de maior engajamento nas redes sociais, também não há estimativas oficiais a respeito do número de pessoas que compareceram à manifestação contrária a Bolsonaro em São Paulo. As organizadoras estimam que o ato reuniu 500 mil pessoas, conforme informado ao Truco. Segundo o MapChecking, a área na qual os manifestantes contrários à Bolsonaro se agrupavam, o Largo da Batata, corresponde a 70 mil metros quadrados e sua capacidade máxima de lotação (7 pessoas por metros quadrados) é de 490 mil pessoas.

Reprodução/ Facebook Eduardo Bolsonaro

Não é todo mundo que chega até aqui não! Você faz parte do grupo mais fiel da Pública, que costuma vir com a gente até a última palavra do texto. Mas sabia que menos de 1% de nossos leitores apoiam nosso trabalho financeiramente? Estes são Aliados da Pública, que são muito bem recompensados pela ajuda que eles dão. São descontos em livros, streaming de graça, participação nas nossas newsletters e contato direto com a redação em troca de um apoio que custa menos de R$ 1 por dia.

Clica aqui pra saber mais!

Quer entender melhor? A Pública te ajuda.

Truco

Este texto foi produzido pelo Truco, o projeto de fact-checking da Agência Pública. Entenda a nossa metodologia de checagem e conheça os selos de classificação adotados em https://apublica.org/truco. Sugestões, críticas e observações sobre esta checagem podem ser enviadas para o e-mail truco@apublica.org e por WhatsApp ou Telegram: (11) 99816-3949. Acompanhe também no Twitter e no Facebook. Desde o dia 30 de julho de 2018, os selos “Distorcido” e “Contraditório” deixaram de ser usados no Truco. Além disso, adotamos um novo selo, “Subestimado”. Saiba mais sobre a mudança.

Leia também

Fernando Haddad (PT) participa de evento da Unecs, em agosto: anos finais do governo Dilma registraram déficit

Haddad exagera período em que governos do PT geraram superávit fiscal

Por

Partido conseguiu resultado positivo durante 11 anos, mas depois foi responsável por dois anos de déficits

Álvaro Dias, do Podemos, em entrevista à EBC: vigilância da fronteira foi um dos temas abordados pelo candidato

Sistema do Exército monitora só 3,89% da fronteira seca

Por

Álvaro Dias, do Podemos, criticou a cobertura do Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras, mas área é ainda menor do que a citada pelo candidato

Notas mais recentes

Médico antiaborto vai representar CFM em audiência sobre violência contra mulheres


Delegado que investigou ex-assessor de Arthur Lira vira alvo da PF


Rio Grande do Sul: De culpados a cheia intencional, inundação é tema de 4,3 mi de mentiras


Quilombolas têm 98% dos territórios ameaçados, aponta instituto


Flávio Bolsonaro nega causa da crise climática em votação de projeto sobre adaptação


Leia também

Haddad exagera período em que governos do PT geraram superávit fiscal


Sistema do Exército monitora só 3,89% da fronteira seca


Faça parte

Saiba de tudo que investigamos

Fique por dentro

Receba conteúdos exclusivos da Pública de graça no seu email.

Artigos mais recentes