AGÊNCIA DE REPORTAGEM E JORNALISMO INVESTIGATIVO

Escola de Predadores

Nosso repórter passou pelo treinamento de PUA em um fim de semana e conta o que viu e ouviu nas aulas práticas e teóricas para aprender a “pegar” mulher

“Este final de semana vocês não tem uma auto-imagem, deixem o ego de vocês em casa, ele não será útil” (…) “quem resistir a qualquer comando deste bootcamp, vai enfrentar desafios maiores ainda impostos pela gente como retaliação. Mulher não abre a perna pra cara meia-bomba. Nem nós treinamos cara meia-bomba. Tragam a Atitude que sairão HOMENS na segunda-feira”.

Ilustrado com imagens de Gerard Butler interpretando o Rei Leônidas no filme “300”, o texto fazia parte do kit de saudação aos novos alunos do treinamento (bootcamp) de PUA (Pick-up Artist) – em português, “arte de pegar mulher” – no grupo secreto do BC no Facebook. Recebi um convite para entrar no grupo depois de confirmado o pagamento de R$ 1.200,00 para o curso de fim-de-semana. Ali também estava o cronograma das aulas práticas e teóricas sobre como ter sucesso com as mulheres e o endereço do nosso ponto de encontro na noite de sexta-feira.

Seguindo as orientações do Facebook, cheguei às 20h a casa do instrutor C, pronto para ir para a balada. Vesti camisa de botão, calça jeans e sapatênis pretos – tênis de corrida são “expressamente” proibidos, assim como o consumo de álcool durante todo o fim de semana. Logo na porta, encontrei um jovem alto e moreno, que se apresentou como um de meus colegas de curso. C chegou em seguida e nos levou para dentro de um apartamento térreo no Paraíso.

A decoração da sala se resumia a uma mesa com dois computadores, um pequeno sofá, onde eu e meu colega nos sentamos, e um tripé, provavelmente usado por C para gravar seus vídeos; o canal da empresa no Youtube tem quase 5 mil seguidores. Na parede, havia um pôster de uma mulher vestida de “supergirl”. Entre os objetos na mesa, notei uma caneca com a inscrição “I Love My Penis”.

C ligou um dos computadores e começou a falar sobre o curso. Orgulhoso, exaltou os diferenciais de sua empresa em relação à concorrência. “Vocês sabem que têm outros cursos desses, né? Aliás, o que vocês conhecem sobre isso? Já leram bastante?”. Dissemos que pouco sabíamos, ele ficou feliz. “Tem muita besteira por aí, melhor pegar assim do zero”. A campainha tocou. Era M, um jovem que nos foi introduzido como assistente de C. Como seu mestre, M é relativamente baixo, mas possui braços fortes. Os dois são de idades e estilos bem diferentes. Acima dos 30, C tem visual militar. Cabelo curto, cara limpa e roupas em tons sóbrios. M é mais despojado. Tem 19 anos, cabelo bagunçado e barba longa. Vestia calça jeans, tênis colorido de cano alto e uma regata que parecia ser de uma academia de Muay Thay por debaixo de um casaco de couro sintético.

O professor quis conhecer os alunos. Perguntou onde morávamos, idade e por que decidimos fazer o curso. Meu colega se apresentou primeiro: 19 anos, morador de uma cidade na região metropolitana de São Paulo. Entrou no bootcamp para ser “foda”, aprender a “pegar mulher pra caralho”. Falei de forma genérica que queria melhorar meu relacionamento com mulheres. Comentei que descobri o curso após a polêmica com o suíço Julien Blanc (veja reportagem principal). Instrutor e assistente riram quando mencionei seu nome. Não aprovam suas técnicas. Acham que Blanc faz de tudo para aparecer e consideram suas declarações “brincadeiras de mau gosto” feitas para chamar atenção. A repercussão do caso, no entanto, parece ter sido boa para a “comunidade”, pois ampliou a visibilidade dos cursos.

Um terceiro aluno não participou da primeira aula, pois veio de ônibus de outro estado, numa viagem de mais de 15 horas. Segundo o instrutor, os grupos de bootcamp são sempre reduzidos.

C fez mais algumas perguntas para entender melhor os problemas dos alunos e prosseguiu para as instruções práticas da balada.

Três regras básicas:

1) Olhou? Gostou? Vá até ela;

2) Quando falar com uma mulher, fale “como homem”, não como “amiguinho”. Deixe claro seu interesse;

3) Se divirta no processo.

Atendendo a pedido do instrutor, o assistente M se levantou e assumiu o papel de mulher. Após sugestão dos alunos, ele passa a se chamar “Mari” por alguns minutos. Usando Mari como exemplo, C nos ensinou a se aproximar de uma desconhecida na balada. Ao se apresentar, o homem deve cumprimentar a mulher com um beijo no rosto. Dessa forma, explicou, ela começa a se familiarizar com seu toque. É fundamental manter o olhar fixo nos olhos da mulher. O tom de voz tem de ser firme, alto. “Não pode soar como alguém que implora por atenção”. E, o mais importante, é necessário se posicionar bem próximo da garota, para ter “fisicalidade”. C ficou a um palmo do rosto de seu assistente. “Quando você chegar assim perto dela pra conversar, ela vai sentir um desconforto, não vai? O que é esse desconforto?”. Pensei em várias respostas, todas erradas. “Esse desconforto é tensão sexual”, afirmou.  “Ela provavelmente vai andar pra trás. Continua conversando e depois chega perto de novo”.

O assistente, no papel de Mari, se afastou. C chegou mais perto. A conversa deve se desenvolver como uma pequena perseguição. Se a mulher recuar, o homem avança. Se ela não se mexer, quer ser beijada. Perguntei qual o momento de parar se a mulher desse muitas demonstrações de não estar interessada. C se mostrou incerto. Após uns segundos pensando, disse que se a menina não for embora ou ameaçar chamar o segurança, não há motivo para desistir. “E se ela te mandar embora?”, perguntei. “Ué, ela comprou aquele lugar na balada? Se ela não estiver gostando, ela sai”.

Cabe à mulher encerrar a abordagem. Mesmo que deixe claro que não está interessada, se a presença do homem a incomoda, é ela quem deve se mover. Outra afirmação do professor me provocou estranheza: “Não existe esse negócio de mulher ir pra balada pra se divertir. Mulher vai pra balada pra dar. Se quisesse se divertir ficava em casa vendo um filme com as amigas”. Havia alguma irreverência no discurso, sem que fosse possível saber o quão sério o instrutor falava — muito menos imaginar o que os alunos compreenderam disso.

E sobre o que devemos conversar com as meninas? “Fale do que você gosta. Seja você mesmo. Do que vocês gostam?”. Contei do meu interesse por música, futebol e política. “Conversar de futebol com mulher é osso. Política também não é uma boa… foca na música. Uma coisa que vocês têm que ter na cabeça é que vocês não estão ali pra agradar a mulher, para entretê-la. Vocês têm que fazer o lance pra vocês, falar do que vocês querem. Se ela não gostou, o problema não é seu. Se você for você mesmo e ela não gostar, vocês não combinam. É melhor para os dois que isso fique claro”.

Havia nas instruções uma linha tênue entre sinceridade e simplesmente ignorar o que a mulher pensa. Diante de minhas preocupações, o ‘roommate’ de C, que chegou no meio da aula e se sentou na sala, interrompeu: “Não tenta se botar no lugar da mulher. Mulher é um bicho completamente diferente do homem, pensa de maneira diferente. Eu só fui me dar bem na vida quando percebi isso”. Instrutor e assistente pareceram concordar.

C foi tomar banho para irmos para a balada. Antes de deixar a sala, colocou uma playlist de videoclipes com mulheres seminuas em seu computador. Disse que era para nos “inspirar” para a noite. Nosso destino era a Yacht, casa noturna na Treze de maio. Antes, porém, faríamos um “aquecimento” na rua Augusta.

Foto: Chris Von Ameln

As aulas práticas acontecem na rua e nas baladas / Foto: Chris Von Ameln

Saímos da estação Consolação e descemos rumo ao baixo Augusta. No caminho, instrutor e assistente se desafiaram. C escolheria 2 mulheres para M abordar, e vice-versa. A ideia era nos deixar mais confortáveis com as abordagens e, principalmente, as rejeições. Quando C se aproximou do primeiro alvo, apontado pelo assistente, parou a abordagem no meio e voltou rindo. Era uma travesti. “Porra, era um traveco. Essa não valeu”.

O procedimento era quase sempre o mesmo. Se a menina estivesse de costas, um leve toque no ombro e, quando ela se virasse, um aceno de mão, seguido de cumprimento com beijo na bochecha e apresentação. Muitas se afastaram de primeira, talvez assustadas com a aproximação de um estranho em trechos escuros da calçada. C e M também pararam para conversar com moças que bebiam em frente aos bares da Augusta. A maior parte das meninas pareceu não se interessar pelos instrutores, mas eles não se importavam.

Depois de algumas demonstrações, chegou a vez dos alunos. “Chega em qualquer uma, gorda, zuada, só pra tirar a zica”, insistiam os professores. Animado, meu colega realizou uma série de abordagens. Fiz de tudo para enrolar e consegui chegar à Yacht sem falar com nenhuma desconhecida na rua Augusta.

Talvez sensibilizado com minha timidez, C decidiu quebrar o protocolo e tomamos uma cerveja em frente à casa noturna. Depois de duas garrafas – sem a participação do assistente, que não bebe –, entramos na Yacht. Não pagamos a entrada, pois o promoter da festa era também um instrutor de PUA, amigo de C, que nos colocou na lista VIP.

Demos uma pequena volta para conhecer a casa. Além da pista, havia um espaço externo, onde era mais fácil conversar com as garotas. Fomos chamados a entrar em ação. “As cinco primeiras nem valem, hein? Chega em qualquer uma”. Meu colega se mostrou um aluno exemplar. Quando recebia uma ordem, obedecia sem pestanejar. Logo havia abordado praticamente todas as mulheres da festa, como queriam os instrutores.

Além de treinar abordagens, o objetivo de falar com muitas garotas logo ao chegar na balada é identificar as que oferecem uma oportunidade de sucesso na noite. Caso o aluno “dê a sorte” de ficar com alguém logo de início, no entanto, não deve perder muito tempo com a pessoa. “Fala pra ela que você foi pra balada pra se divertir seus amigos, pede o telefone e mais tarde se você quiser pega ela de novo”. Em seu apartamento, C dividiu as mulheres de uma festa em 3 categorias: receptivas, neutras e negativas – a classificação se refere a maneira como elas reagem à sua abordagem. Como somos iniciantes, recomendou que apostássemos nas receptivas e neutras. Ele próprio, revelou, prefere ir atrás das negativas. O desafio é maior.

Na balada, como em todo o bootcamp, instrutores não desgrudam dos alunos. A experiência se assemelha a aulas práticas para tirar carteira de motorista. Eles têm códigos combinados para ‘pilotar’ seus aprendizes durante as abordagens. Posicionam-se atrás das meninas e, se necessário, fazem sinais para orientar o aluno a falar mais alto ou se aproximar da garota, tudo isso sem que ela perceba.

Não apresentei a mesma postura proativa de meu colega. Diante de minha falta de iniciativa de me aproximar das meninas na Yatch, C se manteve calmo. Tentou me ajudar a vencer meu “bloqueio” de diversas formas. Seu assistente, por outro lado, ficou impaciente. Apontava meninas incessantemente e se irritou com minha teimosia. Questionou meu interesse no curso. Disse que eu estava jogando dinheiro fora.

Fiz o possível pra me desvencilhar dele. Na pista, vi um jovem se aproximar de maneira ostensiva de uma menina. A expressão dela era clara: não havia interesse. Ele segurava na cintura da garota, que recuava insistentemente. Por mais que ela se afastasse, ele não desgrudava, até se aproximarem de uma parede. “Esse aí tá mandando bem. Ela não tá curtindo muito, mas ele tá fazendo certo”, comentou C.

Quando o relógio marcou 4h, disse que estava cansado e fui embora. Não houve protesto.

No dia seguinte, encontrei meus mestres na avenida Paulista. Era a hora do daygame. À luz do dia, tínhamos que nos aproximar de desconhecidas na rua. O rapaz que veio de outro estado chegou de manhã e participou também da atividade.

Como meu outro colega, o jovem se mostrou animado. Abordou dezenas de moças na Paulista sem nenhum constrangimento. Não éramos o único grupo na região. Em frente ao Center 3 e ao Reserva Cultural, outros alunos e instrutores de PUA se aglomeravam à procura de alvos. Muitos dos professores dos outros grupos são ex-alunos de C. Há alguma rivalidade entre os cursos.

As orientações para abordar mulheres nas ruas são quase as mesmas da balada. Diga ‘oi’, cumprimente com beijo no rosto e comente algo sobre ela. Diga que ela é bonita, que a bolsa dela é estilosa, qualquer coisa. “O que você fala não importa muito”, nos disse C. Após alguns minutos de conversa, a recomendação é de tentar levar a mulher para algum lugar, chamar para tomar um café, sorvete ou até uma cerveja. “É importante você movimentar a mulher. Com isso ela vai se acostumando a ser comandada por você”, explicou-me o assistente.

As regras espaciais da noite são válidas também na rua. Em uma demonstração para os alunos, o instrutor se aproxima de uma moça em um ponto de ônibus. Ela não manifesta o menor interesse na conversa, mas ele não recua. Após alguns minutos, a jovem vai embora sem pegar o ônibus. Segundo o instrutor, ela disse que foi encontrar uma amiga. “Você não acha que ela inventou isso só pra sair da situação?”, perguntei. A resposta: “Isso não é problema meu”. Toda vez que me preocupei sobre mulheres não gostarem das aproximações, a resposta foi a mesma: não é problema do homem.

Nas conversas do daygame do sábado, conheci um pouco melhor meu instrutor. Anos atrás, tentando curar uma suposta depressão, C descobriu as técnicas de Programação Neurolinguística em práticas de yoga. Durante pesquisas sobre o tema, soube de pessoas que usavam a ciência na sedução de mulheres. Mais tarde, já “curado” e solteiro, resolveu testar a PNL na pista. Seguiu estudando até se se tornar um PUA.

Não era fácil conversar durante o daygame. Alunos e professores costumam fazer desafios. É estabelecido um tempo, começando com cinco minutos e, quem não conseguir falar com uma mulher nesse período, será punido. O castigo é abordar um homem ou “uma velha”. E não basta falar ‘oi’. Membros vão verificar se o perdedor está mesmo seduzindo a pessoa escolhida para a punição. Praticamos o desafio algumas vezes, reduzindo o tempo a dois minutos. Até mesmo os instrutores ficaram nervosos com a pressão, mas ninguém foi derrotado. Fomos liberados das atividades às 19h30.

No meio do segundo dia de bootcamp, já estava saturado. Procurei amigos para aproveitar meu intervalo até às 23h. Queria algumas horas de conversa normal, um intervalo sem receber ordens de ninguém para abordar mulheres. Mas às 23h10 eu estava pronto para uma nova balada em frente ao Center 3.

Novamente descemos a Augusta abordando desconhecidas. Desta vez, a balada escolhida ficava na própria rua. Entramos na Blitz Haus pouco depois da meia noite. O cenário era bem diferente da primeira festa. A casa estava cheia e o público mais animado que na noite anterior. Instrutor e assistente se desafiaram mais uma vez. O combinado era: se um dos dois ficasse com uma menina, teria que pegar mais 5 ou “comer” uma. As opções eram ficar com seis meninas, fazer sexo com uma ou não ficar com ninguém. Quem desrespeitasse a regra ficaria proibido de sair com qualquer menina por uma semana.

Na pista lotada, alunos não tinham descanso nem quando conseguiam ficar com alguém. Enquanto beijava uma menina, um aluno foi avisado pelo assistente: “Tá bom já, vai atrás de outra”. Como técnicos à beira do campo, os instrutores repetiam as orientações do treinamento: “Não esquece de fazer as três perguntas: com quem você veio, como vai embora e o que vai fazer amanhã, assim você sabe qual têm mais chance de levar pra casa”. Moças sozinhas eram vistas como atacantes livres, que os alunos, como zagueiros, tinham que marcar. “Vai naquela”, repetiam, apontando.

Questões mais íntimas também entraram em pauta. “Você dedou a mina? Tem que dedar a mina”, disse o assistente, pressionando um aluno que acabara de ficar com uma menina. Embaraçado, ele respondeu: “Ela não me deixava nem encostar na barriga dela, mandava tirar a mão”. “Ignora”, respondeu o assistente, rindo. Novamente, não era possível saber se ele falava sério nem o efeito da orientação na cabeça do aluno. “Não pode pegar ‘pau mole’, tem que pegar firme. Tenta comer uma mina no banheiro”, orientou.

A noite terminou com um vencedor. Um colega de turma conseguiu “dar o pull” – sair da balada acompanhado, no vocabulário PUA. No dia seguinte, foi festejado por instrutores e colegas. C fez apenas uma pergunta sobre a continuação da noite: “Você não transou sem camisinha, né?”, o jovem respondeu que não.

Minha tarde de domingo se arrastou em mais abordagens constrangedoras, desafios e a constante ameaça de ter que seduzir uma idosa ou um homem. Concluímos o bootcamp em um bar da região. Agora aguardo meu feedback em vídeo.

Tags: , , , ,

Comentários

Opte por Disqus ou Facebook

  • Nivia Corrêa de Souza

    Que tristeza me deu ler tudo isso, de saber que isso acontece e que é real. Chegou a embrulhar o estômago.
    Fico pensando no que falta na vida de um menino de 19 anos para ter que procurar um curso assim. Tanto os “alunos” como as meninas abordadas são vítimas da cultura machista. Só é homem quem pega muita mulher, né.
    Que absurdo. Estou chocada.

    • JaneJC

      Chocante saber que existem estes cursos,que há quem pague por eles e,pior,que muita gente ache isso normal.
      E,no fim das contas,as vítimas desses canalhas é que acabam levando culpa por serem tratadas como lixo por eles.

      • japzor

        Exatamente o contrario. Esses caras q pagam fazem isso porque sao tratados como lixo por elas.
        Pode ter certeza q a maioria deles é aquele cara do tipo bonzinho ou tímido q gostava de uma garota q nunca deu bola pra ele e um certo momento lhe jogou isso na cara.

        • Patricia Soares

          Mas não é porque o cara foi tratado com um “lixo” por alguém que ele precisa fazer isso com outro alguém. Pensamento retrógrado e ignorante.

          • japzor

            Quem disse q ele esta tratando os outros como lixo?

        • Paulo Guina

          A vingança nunca é plena, mata a alma e envenena. (Seu madruga).

        • Patrícia

          Nenhuma mulher tem obrigação de ficar dando trela pra um cara x em quem ela não tem tem interesse. Isso se chama rejeição e o mundo é feito disso. Agora, se eles foram criados como principezinho que não podem ouvir um não como resposta, nos termos do instrutor de estupro acima narrado: “problema dele”. Os homens precisam entender de uma vez por todas que as mulheres não lhes devem NADA. Fora a tendência de culpar a vítima né “se elas não tratassem os homens mal….mimimi”

          • Ailton junior

            CULTURA DE ESTUPRO? ONDE VC VIU ALGUEM SENDO ESTUPRADO ALI GAROTA? VC QUE É MUITO INFLUÊNCIADA POR JORNALZINHO E TV ALIENADA.

          • Patrícia

            Nossa que engraçado como alguns homens ficam na defensiva quando o assunto é cultura do estupro. Negam até não mais poder.muito interessante considerando que 98% dos estupradores são homens. Deve ser coincidência. E ela está ali gritando no texto, quando o rapaz diz que “mulher só vai pra balada pra dar” ou que “se ela não gostar ela que mude de lugar” ou quando ele sugere que o rapaz “ignore” quando a moça manda ele tirar a mão. Ou ainda quando a moça do ponto de ônibus tem que inventar uma desculpa pra sair do lugar onde ELA estava, mudar sua rota por causa de um bostinha que não respeita o espaço pessoal de uma mulher. Só não enxerga quem não quer. Ou quem tem interesse na perpetuação disso. Mas eu, mulher, que vivo isso dia após dia é que sou a alienada né

          • japzor

            Esta saindo do foco. Suas queixas diárias nao tem a ver com o assunto aqui.

            Vc só precisa entender q durante aseducao vc age instintivamente e por isso distribui “náo” pra todo lado, quando boa parte deles significa “tente de novo”, “quem sabe”.

          • Caio Paiva

            Uma pergunta sincera e sem polêmica: Você é psicólogo? Porque para afirmar coisas como “Vc só precisa entender q durante aseducao vc age instintivamente e por isso distribui “náo” pra todo lado, quando boa parte deles significa “tente de novo”, “quem sabe”.” eu acredito que você já tenha estudado muito sobre o comportamento humano, e não apenas um curso de 20 horas (Se muito!).

          • neryuuk

            ‘Embaraçado, ele respondeu: “Ela não me deixava nem encostar na barriga dela, mandava tirar a mão”. “Ignora”’. ‘Dedar’ a mina na balada CONTRA A VONTADE dela… E isso não é estupro, cara?? E outra coisa, violência não envolve apenas tocar a pessoa não. Intimidação e coação também são formas de violência.

          • japzor

            A questão é justamente lidar com a rejeição. Esses rapazes buscam melhorar o comportamento durante a sedução.
            É como uma mulher fazendo curso para aprender a se maquiar.

            E parece q vcs só lêem como lhes convém, tudo é estupro, tudo é abuso, nem olham direito as coisas

          • Ailton junior

            CONCORDO

          • Ailton junior

            E AS MULHERES VÃO PRA BALADA ENCHE A CARA DE MAQUIAGEM FAZ CABELO,MALHAR, COMPRA ROUPA, PAGA BRONZEAMENTO ARTIFICIAL E ETC E VC QUER ME CONVENCER QUE ELAS VAI PRA BALADA PRA FICAR NO CANTO COM AS AMIGAS SE “DIVERTINDO” PELO AMOR NÉ SE TOCA!

            SOMOS SERES HUMANOS ADULTOS NOS FAZEMOS SEXO QUAL PROBLEMA DE ELA IR PRA BALADA QUERER “DAR”?

            VISÃO QUADRADA SUA VIU PATY!

          • Julia

            Sim, muitas vão pra ficar se divertindo, bebendo, dançando, enfim, não te interessa.
            Qual o problema de ir para a balada e não querer dar?

          • Cristina

            quer perder a timidez, vai fazer teatro! plmdds esse cuso pra pegar mulher dizendo pra ignorar o que a ela quer e quando ela diz “não” incentiva a cultura do esturpo sim!

          • Diego Ramon

            desculpa Cristina, mas fazer tearo não vai ajudar um homem tímido. Sei disso, sou ator profissional a 10 anos e ainda sou travado em muitas situações…

          • Lu

            Amigo, maquiar não machuca, não agride ninguém. Abordar mulher na balada com falta de respeito é agressão. E algumas mulheres adoram se arrumar, muitas vezes sem motivo algum. Eu mesma já fui para a balada só para ter motivo para vestir a roupa que tanto gosto, sem querer pegar nenhum marmanjo nojento. Ou seja: NADA justifica a falta de respeito, fiufiu, pegação sem consentimento.

        • Julia

          Quer dizer que não gostar/sentir atração por um cara e dizer isso pra ele é tratar como lixo? Depende de como se faz isso, né?

          • Paulo Guina

            Acontece é que a maioria dos PUA’S sofreram bullying, por isso agem nessa defensiva maluca achando que tudo é humilhação. Mal sabe eles que estão descontando as frustrações no alvo errado, alvo esse que é mais oprimido do que ele.

      • Luis Carlos Bezerra

        Eu só digo uma coisa, não acredite em tudo que dizem, principalmente em reportagens que na maioria das vezes são tendenciosas. Obrigado

        • JaneJC

          Não preciso acreditar. Eu sou mulher. Sei muito bem como alguns tipos de homens agem – principalmente quando incentivados por babacas como esses “instrutores” ou amiguinhos idiotas.

          • Skylab

            Falou tudo Jane.

    • Paulo Guina

      A culpa é do machismo, que julga o virgem como um looser.

      • japzor

        Ou simplesmente uma vontade natural do homem, q é querer tocar uma mulher, querer beijar, transar, mas nao faz ideia de como se aproximar delas

        • Paulo Guina

          Uma coisa é ter vontade, outra é executar. Para isso ocorrer ambas as partes devem estar de acordo.
          É claro que a vontade conta, mas a questão que ela é amplificada com o machismo. Existem outras coisas interessantes nessa vida, mas os homens sempre focalizam o sexo e é isso que acaba criando monstros como o Julien.

          • japzor

            Monstros como Julien? Vc o conhece? Isso foi invenção da midia. Foi muito comodo associar o cara com estupro, machismo, virou uma noticia muito conveniente.

            Duvido que qualquer das mulheres q ele levou pra cama vai falar que foi forçada. Todas vão dizer q ele foi atraente, maravilhoso, etc.

            Esses rapazes que fazem os cursos colocam as mulheres em pedestais, a primeira coisa é desconstituir isso. E vc vai fazer isso como? Dizendo q vcs devem se iguais e q no primeiro “nao” vc deve ir embora? Logico q nao. A resposta natural de toda mulher é negar de primeira qualquer que seja a abordagem.

            Vcs n fazem ideia de como esse pessoal introvertido pensa, sente ou sofre

          • Paulo Guina

            Como eu não tenho ideia? Eu sou virgem até hoje, introvertido e tímido pra caralho.
            E eu tenho uma porrada de material da RSD aqui no PC e sei sobre o que estou falando.
            Se uma ou duas gostaram Foda-se, mas para chegar nesse resultado teve que abordar dessa maneira outras 10, que podem ter sido constrangidas.

          • japzor

            Então vc ta no meio. Vc sabe q nao da pra treinar com bonecas, infelizmente é na pratica q aprendemos.
            E sobre o Julien, vc realmente acha q ele chega a abusar de todas antes de ejetar?

          • Paulo Guina

            Pegar a menina pelo pescoço, e força-la a abaixar até o pênis não é abuso?

          • japzor

            Ai meu deus, vc acha q ele sai fazendo isso com td mundo? Q o video dele n é uma zoação q ele fez durante a palestra? Q as garotas q ele fez isso ele já n tinha “pego” antes? Suas amigas feminazi estão te influenciando demais

          • Paulo Guina

            Então vai lá pagar o curso de 1200 reais, tenho certeza que as mina pira num macho ALPHA. [/ironic]

          • japzor

            Pira mais no alpha do q no virjao protetor das amiguinhas, isso tenho certeza.

          • Paulo Guina

            HAHAHAHA, mas cuidado, pois todos sabemos que na cadeia estuprador tem tratamento VIP.

          • japzor

            Ainda bem ne, nesse negocio do pua ninguém estupra, então estão todos a salvo

          • Paulo Guina

            Você é que pensa…..

          • David Madi

            Paulo Guina, tenho certeza que vc não quer ser virgem pra sempre. Procure saber mais sobre esses cursos.
            Mas sem preconceito, este da reportagem não reflete o universo PUA.

          • Paulo Guina

            Claro que reflete. Já participei de todos os fóruns BR, e tenho quase todos os materiais da RSD. Eu falo com conhecimento de causa.

          • Jaqueline Torres

            Desculpa ai amigão, mas quando eu digo não eu QUERO DIZER NÃO E PRONTO. É tão difícil assim interpretar uma palavra que tem só 3 letrinhas? Meu namorado é super introvertido, se interessou por mim e nunca me pressionou, não por ser introvertido, mas por ter EDUCAÇÃO. Eu me aproximei dele primeiro, assim como alguma garota que se interesse por você pode ter a iniciativa. Lide com isso pelo amor de deus.

          • japzor

            Sorte. Não tome exceção como regra

          • Jaqueline Torres

            Foi sorte dele eu ter iniciativa? Cara você tá falando besteira demais. Existem MUITAS meninas com iniciativa por ai, mas geralmente elas não fazem nada porque não se interessam por caras babacas com pensamento machista igual o seu. Para de por a culpa de tudo na sua timidez, se ela realmente te incomodasse você procuraria um profissional, um psicologo. Não um imbecil que dá curso de como objetificar mulheres.

          • Carol

            Pois é. Eu tb prefiro homens introvertidos e gosto de chegar no cara (ou chego quando estou afim). Se ele estiver afim de mim ótimo! De fato, vivemos numa sociedade que prega que o homem deve ter atitude e se vc demonstrar interesse vc é fácil. Mulher não pode ser fácil, tem que ser pura, virginal… tem q ser um produto para homens decidirem o que fazer com elas.
            É cultural sim! É patriarcal e Machista sim!
            Queridos amigos homens, vocês que não sofrem os abusos que eu sofro diariamente não tentem falar por mim. Sei que o sexismo é péssimo pra ambas as partes, mas vcs não sabem o que é se tornar mulher nessa nossa cultura.

          • Paulo Lugues

            Pra mim mulher que toma iniciativa é puta, ou tem algum defeito que nenhum cara quer aí se obriga a bancar o homem.

          • Cristina

            a primeira resposta natural de uma mulher é “não” quando ela não está interessada. simples assim.

          • robalo silva

            Mas pode mudar, para um talvez ou um sim, por isto temos que tentar conquistá-la, e não força-la. :-)

      • Luis Carlos Bezerra

        Eu só digo uma coisa, não acredite em tudo que dizem, principalmente em reportagens que na maioria das vezes são tendenciosas. Obrigado

        • Skylab

          Eu só digo uma coisa. Eu teria vergonha para o resto da minha vida se fizesse um curso desses.

      • Daniel

        Deixa eu ver.Ohomem quje nao pega ninguem nao é nada. O homem só se torna alguem quando uma mulher lhe dá a honra de sentir atracao por ela. Logo,a mulher que determina o valor social do homem. E é machismo, se quem por si mesmo nao vale nada , só adquire valor quando é aceito por uma mulher? Nao consgiue ver se que se trata exatamente do oposto? Na nossa sociedade, supostamente “machista”, o homem nao vale nada por sí proprio. O que determina o valor do homem sao as mulheres.

        • Paulo Guina

          Não, infelizmente o que acaba determinando é o valor de mulheres “conquistadas”(isso mesmo, vocabulário de guerra). Pena…

          • Daniel

            Poisé, mas pense. Se uma mulher bem nova transa com um cara mais velho, a sociedade encara como abuso. Se um menino é abusado por uma mulher mais velha, ele “tve sorte”. Vivemos numa sociedade que tolera o abuso sexual contra homens, esses serem que desde jovens sao massacrados com a obrigacao de serem “pegadores”.

          • Paulo Guina

            É o machismo institucionalizado.

          • Daniel

            Repito, machismo nao existe.

          • Jaqueline Torres

            “Ahh mas e os ozomi? Eu também sofro preconceito!” Meu deus para de falar besteira.

          • Daniel

            Sofro muito mais do que voce. Para de falar besteira voce. Vc deveria fazer igual a Norah Vincent pra sentir na pele oe que é ser homem, daí ia parar de falar bobagem.

          • Jaqueline Torres

            Cara… Sério… Em que mundo você vive? Porque com certeza não é no nosso. Porque nesse seu ae não existe femicídio, não existem garotas sendo estupradas só porque homem é ensinado desde o berço que é ok ele exigir o que quiser de toda mulher do mundo, não existem mulheres sofrendo com cantadas de rua todo santo dia e especialmente não existe machismo. Se por um acaso você tá falando da sua timidez, breaking fucking news, também existem mulheres tímidas, com depressão, com borderline, com bipolaridade, com DOENÇAS que são piores que uma simples timidez (não que homens também não tenham essas doenças, esse não é meu ponto) que você insiste em reclamar mas nem tenta tratar. Quem te deu um computador? Você não deveria ter acesso a um com esse tipo de mentalidade de 3 anos de idade.

          • Daniel

            Eu sou homem. Eu sei do que fui ensinado. Fui ensinado a puxar a cadeira pras mulheres, fui ensinado a tirar meu casado pra dar pras mulheres se eles tiverem frio, fui ensinado a levantar pra dar acento pras mulheres, fui ensinado a pedir mulheres em casamento ajoelhado, fui ensinado que “primeiro as damas”. Vivo num país onde homens sao 91,4% das vítimas de homicídios, onde homens sofrem um esterótipo de “agressores” e “estupradores”. Vivo num país onde homens são linchados se uma mulher acusar algum de passar a mão, e as notícias por aí de homens sendo agredidos fisicamente pro acusacoes, muitas vezes falsas, de estupro, podem ser encontradas facilmente no google. Se homens fossem realmente ensinados que é ok ele exigir de toda mulher no mundo (só na suas cabeça, o que nos homens somos ensinados e´que mulheres sao RAINHAS e que e´assim que devemos trata-las), porque tantos homens por aí procuram ajuda psicologica por problemas com mulheres, ou gastam milhares de reais em cursos de PUA? Voce deveria ler o livro “como homem”, de Norah Vincent, mulher americana que fez a experiencia de viver como homem, entre homens, fingindo ser homem e que mudou completamente sua visao de mundo graças a isso. Enquanto isso, homens sao considerados descartáveis, sendo assassinados pela policia 62 vezes mais do que mulheres ( estatística verdadeira, diferente da falsa de um estupro a cada 12 segundos), vítimas de 95% das mortes em acidesnte de trabalho, se arriscando em trabalhos noturnos, sujos e perigosos. É isso que você é ensinado quando você é homem. Você é ensinado que, como homem, você nao vale nada. Porque, ao mesmo tempo em que, pelo cavalheiros, somos condicionados a aceitar que mulheres devem vir na frente ( o que nos gera uma percepcao subjetiva de que somos inferiores), vemos o nosso gênero morrer muito mais em profissoes de risco, na violencia urbana, na guerra, se arriscado como bombeiros ou policiais. E ao mesmo tempo, embora a violencia doméstica contra o homem seja equivalente ou até maior que contra a mulher- e existem 206 estudos publicados confirmando isso, te mando uma lista bibliográfica se você quiser- nossa sociedade só condena a violencia contra a mulher, enquanto a contra o homem é considerada motivo de piada. Vivo num mundo onde homens sao vítimas de 85% dos suicídios, justamente por serem mal-tratados pela nossa sociedade, desde crianças, tanto pelo cavalheiros como na escola, onde as professoras de séries iniciais sempre dizem que as meninas sao emlhores, mais inteligentes, mais organizadas, e os meninos sao bagunçados, porcos,bagunçados, etc. Vivo numa sociedade me que se homem engravida a mulher e não quer pagar pensao,o homem é “filho da puta, canalha, nao presta”, mas se a mulher foge com o filho e não dá satisfações ao pai, é ok, porque é mae. Acha que estou louco? Entao procura no google uma noticia onde o pai se fantasiou de mulher para ver a justiça o enxerga. Vivo numa sociedade onde 99% das condenacoes penais injustas sao contra homens, e isso tambem pode ser comprovado se voce buscar a fonte, só nao da pra postar links aqui.

          • Daniel

            Fora do que falei abaixo, também vivo numa sociedade em que homens sao vitimas de 91,4% dos homicídios, 95% destes cometidos pro outros homens, porque somos ensinados a nos envolver em situacoes violentas orque nossa vida vale pouco. Vivo em uma sociedade que gasta 7 vezes mais em pesquisa cientifica com saude feminina do que com a masculina.Por meio da escravidão, os negros eram forçados a arriscar suas vidas em plantações de algodão para que brancos se beneficiassem economicamente enquanto os negros morriam prematuramente. Os homens eram forçados, por meio da conscrição, a arriscar suas vidas no campo de batalha para que todos os outros pudessem se beneficiar economicamente enquanto os homens morriam prematuramente. Tanto os escravos quanto os homens morreram para fazer do mundo um lugar seguro para a liberdade – liberdade de outros.

            Os filhos dos escravos eram tomadas contra a vontade destes; os filhos dos homens também são tomados deles contra a vontade deles. Até hoje, dizemos à mulheres que elas têm o direito a ter filhos e dizemos aos homens que eles têm que lutar pelos filhos.

            Os negros eram forçados, por meio da escravidão, aos trabalhos mais insalubres da sociedade. Os homens, por meio da socialização, são forçados aos trabalhos mais insalubres. Tanto os escravos quanto os homens costumavam constituir quase 100% das “profissões mortais”. Os homens ainda constituem.

            Quando os escravos desocupavam seus assentos para brancos, chamávamos aquilo de subserviência. Quando os homens desocupam seus assentos para mulheres, chamamos isso de cortesia. De forma parecida, considerávamos um símbolo de subserviência o ato dos escravos de se levantarem quando o mestre deles adentrava no ambiente; mas para os homens, levantar-se quando uma mulher chega é símbolo de boa educação.

            Os negros são mais suscetíveis a não terem um lar; Os homens são mais suscetíveis do que as mulheres a não terem um lar. Os negros são mais suscetíveis a serem presos que os brancos; os homens são 20 vezes mais suscetíveis a serem presos que as mulheres. Os negros morrem 6 anos antes do que os brancos; os homens morrem 7 anos antes do que as mulheres. Os negros têm menor probabilidade de cursarem uma graduação. Os homens têm menor probabilidade de irem para a faculdade (46% a 54%) ou de se graduarem.

            O Apartheid forçou os negros a trabalhar em minas de diamantes para os brancos; a sociedade espera que os homens arranjem diferentes empregos para pagar por diamantes para as mulheres. Nunca na história houve uma classe dominante que trabalhasse para obter diamantes para dar para um grupo que pudesse se esquivar ao se entitular de oprimidos (mesmo quando aceitassem os diamantes).
            Há maior probabilidade de que negros sejam vonluntários na guerra do que brancos, com a esperança de ganhar dinheiro e desenvolver habilidades; há maior probabilidade de que homens sejam voluntários na guerra do que mulheres, pelos mesmos motivos. Os negros são mais suscetíveis do que os brancos a submeterem-se aos maltratos infantis do boxe e do futebol, com a esperança de conseguir dinheiro, respeito e amor; homens são mais suscetíveis do que mulheres a se sujeitarem aos maltratos infantis do boxe e do futebol, com as mesmas expectativas.
            Seria difícil encontrar um único exemplo histórico em que um grupo que detenha mais de 50% dos votos tenha se esquivar ao se entitularem de vítimas. Ou um exemplo de um grupo oprimido que escolha votar mais em seus “opressores” para a liderança do que nos próprios membros. As mulheres são a única minoria que é uma maioria, o único grupo que se intitula de “oprimido” que é capaz de controlar quem é eleito para cada gabinete em praticamente todo o país.
            As mulheres são o único grupo “oprimido” que vem da mesma família que o “opressor”; que nasce na classe média e na classe alta tão frequentemente quanto o “opressor”; que detém mais objetos de luxo do que o “opressor”; o único grupo “oprimido” cujo “trabalho não-remunerado” permite comprar a maior parte do mercado de comésticos, de cinquenta bilhões de dólares ao ano; o único grupo “oprimido” que gasta mais em moda e roupas de marca que seus “opressores”; o único grupo “oprimido” que assiste mais à TV em qualquer faixa horária que seus “opressores”.

            A minha mentalidade é de 3 anos? Ou você que é totalmente dogmática ou condicionada e não quer enfrentar suas crenças? Va ler um pouco de Norah Vincent, de Warren Farrell, de David Benatar, de Christina Hoff-Sommers. Vá ver os vídeos no you tube da Karen Straughan. Estude. Abra sua mente. Largue o dogmatismo. Pense, reflita, veja o outro lado.

          • Daniel

            Ah, fora tudo o que escrevi, faltou responder sua pergunta: eu vejo no mundo real, não em um mundo onde tanto adaptar os fatos sociais a um condicionamento a um dogma. Porque eu faço o que qualquer um que busque o saber deveria fazer: nao se prender em zonas de conforto intelectuais, e ser o maior inimigo da minha forma de pensar.

          • Cristina

            amigo, o nome disso é machismo mesmo.

          • Daniel

            nao, é misandria. o machismo está na lente com que você enxerga os fatos social. se tirasse essa pré-concepcao de que é machismo e viesse passasse a analisar os fatos de maneira neutra, sem procurar encaixa-los em nenhuma crença pre-estabelecida, viria que se trata de misandria e nao machismo.

    • Daniel

      Nao existe cultura machista. Isso é fruto da cultura misandrica. Homem, só por homem, nao é nada, nao tem valor nenhum. Homem só adquire valor social quando sabe pegar mulheres. É a mulher (superior) que determinar o valor do homem ( inferior).

    • Mrjack

      Tristeza? Tristeza porque vc não está na pele de muitos rapazes que chegam aos 19 anos e não conseguem arrumar se quer uma namorada. Caras como esses, estão sofrendo todas as noites quando deitam no seu travesseiro, caras como esses estão depressivos, muitos até se suicidam… Eu mesmo sofri muito com isso. Mas porque? Nascemos homem e, desde criança fomos ensinados pelos pais, escola, sociedade em geral, que devemos ser educados, bonzinho e sempre tratar muito bem às mulheres. Sempre coloca-las em um pedestal. E o que acontece? REJEIÇÃO, REJEIÇÃO E REJEIÇÃO! E você acaba entrando em paranoia, se perguntando: mas porquê sou rejeitado por todas? Sou um jovem de boa aparência, educado e daria o mundo por elas. Será que preciso ser rico? Será que preciso ter carrão? Mas fui ensinado desde criança que para ter uma namoradinha só preciso, ser bonzinho, educado, um bom moço. E o que você se depará? Quem são os caras que ELAS se relacionam enquanto, os rapazes bonzinhos são REJEITADOS? Caras cafajestes, bombados-de-acadêmia, caras casados, os maiores pegadores, marginal do funk e outros trastes… ISSO SIM É FICAR CHOCADO. Só digo uma coisa, vc é mulher e não faz a miníma ideia do quanto está cheio de rapazes que estão sofrendo nesse momento. Se perguntando o porquê estão sozinhos? Será que elas querem mesmo este tipo de homem bonzinho?

      • Jose Belbute

        É isso mesmo Mrjack!! Elas so querem bonzinhos mas é para que eles oiçam as queixas delas… Não obrigado!! Se é crime agora falar com mulheres, então nem quero viver mais neste mundo…

      • Carol

        Cara, eu tenho 19 anos e nunca consegui um namorado sequer. Também me sinto uma bosta quando um cara abusa de mim, certa vez tive que correr de um que queria me agarrar numa rua vazia. Nunca me relacionei com cafajestes… Não gosto, gosto de ser bem tratada de ouvir uma boa conversa e de gente que me faz com que eu me sinta bem. Sou demasiadamente chata para alguns assuntos. Acho q a depressão, a tristeza, o vazio são coisas que estão presentes em ambos os gêneros.O sexismo é uma merda para quem não faz parte dos padrões sexistas. Mas vc, mesmo com suas angustias (que eu, por hora, tb sofro e outras que eu desconheço pois não sei o que é ser homem na nossa sociedade posto que sou mulher) não tem o medo que eu tenho de andar sozinha tarde da noite.
        Tenho vergonha de menstruar, vergonha de usar um vestido mais curto, vergonha de ter me tornado o que sou, vergonha dos meus seios, do meu cabelo. Quantas vezes já não deitei sentido raiva de ser mulher, pq não pude sair ficar na rua, pq me disseram coisas horrorosas na rua e tive que ficar calada, pq senti medo e me senti sozinha. SOZINHA POIS NENHUMA OUTRA MULHER FALAVA SOBRE O Q SENTIA TB. Trancafiada dentro de mim, com um grito pra sair.

        O abuso sexual, verbal e a violação dos direitos e dos espaços da mulher não é a solução para nada, já não somos demasiadamente violadas?. Minha liberdade de ir e vir, de falar, de ser o que sou é podada. Quantas vezes já não ouvi: “Mulher não pode gostar de política, ou dessas coisas estranhas de homem. Por isso você não arruma um namorado.” ou coisas como: “Menina, senta direito! Isso não é coisa de mocinha!” Eu tenho a minha LIBERDADE podada de modo que os homens não são. Desde a infância, desde sempre me disseram como uma menina deve se portar, se resignar. Acontece q eu cansei. Quantas meninas foram assassinadas após serem estupradas? E as que se mataram pela mesma razão? E tantas outras que mudaram a vida depois de um homem com quem confiaram a intimidade as expôs com vídeos na internet, sendo logo em seguida julgadas de vagabundas, putas e vadias? Culpadas acabamos nos tornando pelo nosso próprio sofrimento. Sou culpada só por ter nascido e me tornado mulher.

        • Jose Belbute

          Carol, é verdade que muitos homens são autênticos animais, e eu sinto-me sempre mal quando oiço historias como a tua de mulheres que são abusadas, violadas etc… mas como tudo na vida não quer dizer que todos os homens tenham essa intenção! No meu caso, gosto de uma mulher independente, inteligente, alguém que seja divertido e possa falar horas, a rir, seja o que for… Isso é também um problema que nos atormenta a nós homens. Agora o que é certo é que os bonzinhos, não conseguem ser atraentes para uma mulher, mesmo pela sua timidez que funciona contra eles.. Mas isso também não quer dizer que tenhas de sair com rapazes maus… Penso que a ideia do PUA (pelo menos para mim) é evoluir e tornar-me uma melhor pessoa, ser mais social tratar toda a gente com respeito. e no fim conhecer uma mulher independente, inteligente e divertida. E posso-te dizer que muitos tiraram estes cursos pelo mundo fora, hoje em dia têm namoradas, são felizes, têm uma vida mais saudável e positiva… Não te sintas mal por ser mulher, porque as mulheres são a melhor coisa do mundo, e se nos fazemos isto, muitas vezes é para vos agradar também e sermos melhores para vocês e para nos! Grande abraço!!

        • Paulo Lugues

          Ta bom vou fazer de conta que eu acredito kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

      • magno andre

        Cara nao fique Triste ! e o instinto Maternal das Mulheres , olhe a sua volta ,toda Mae que tem 2 filhos ,sempre e mais apegada ao mais bangunceiro, e encrenqueiro ,( enquanto o outro que e bonzinho so ha cobranças em cima dele ), E sempre foi e sera assim ! por que com os namorados que elas escolhem seria diferente ? Nao culpe elas ,na realidade elas nem percebem que fazem isso ! Estao muito ocupadas com os conflitos delas que nao tem tempo de perceber o que fazem com os Homens bons iquais a Ti !

    • Bruno Estebam

      Terrível mesmo.

  • Gustavo Ferreira

    Sera que e so isso? O jornalismo sempre aumenta, igual fizeram com a passeata na paulista falando que vândalos quebravam tudo. Não acredito em uma palavra, so fazendo para saber. Quando um cara se mata por causa da ex mulher todo mundo fala para que isso? Timidez e coia séria. Não e brincadeira. Já fiz um curso desse e não é bem assim como contou o jornalista, realmente mudou certo ponto minha vida, o jornal botou o ponto de vista dele. Os mesmos que dizem mau não sabem falar um A com uma mulher que ficam mexendo com elas na rua. Não se pode julgar sem conhecer.

    • Jean Fernandes

      É desse jeito mesmo, sou jornalista e aprendiz no pua.

      Mas nunca gostei de ir em baladas ou pegar geral, nem
      de “passar a mão”, gosto de abordar e ter sucesso com mulheres nota 10, isso sim, mas uma por vez, pressa pra que?

      Quero ressaltar que no PUA temos toda uma lista de regras do que podemos ou não fazer e inclusive onde e quando podemos tocar nas mulheres.

      Acho que esse C em questão é super fã de pegação, mas cada um tem seu estilo.

      Ademais, excelente texto, parabéns pro autor.

      • Jana

        a única regra de quando e como você pode tocar numa mulher é: quando e como ela quiser e se ela quiser. valeu? falou.

        • Jean Fernandes

          Vá com calma jovem, não se exalte, eu já aprendi isso de berço, como todas as outras pessoas.

          Como falei, eu sou contra isso, mas cada um faz aquilo que acha melhor.

          • Camila

            Peraí,então você é contra tocar numa mulher contra a vontade dela, “mas cada um faz aquilo que acha melhor”?! Nããão! Ninguém decide o que fazer com o corpo de alguém além do próprio dono do corpo!! Nossa, isso tudo é realmente assustador… Quanta escrotice!

          • Jean Fernandes

            Não cabe a mim mandar nos outros, nobre.

            Eu não faço isso por que acho errado e uma falta de respeito para com ambos, mas como disse, cada um faz o que bem entender da vida por que temos livre arbítrio e que posso eu fazer contra caras assim? Bater neles? kkkkk

            Lembre-se de que do mesmo modo que existem homens safados também tem mulheres safadas, mas é errado julgar todo um grupo por causa do erro de uma minoria.

    • Carla Tawa Miyazaki

      Timidez é sim coisa séria e como tal deve ser tratada por profissional competente, um psicólogo. Não é bem assim quer dizer q é mais ou menos assim,não é msm?Desprezível a forma como tratam as mulheres, lembre se q sem uma ngm viria ao mundo e a próxima a ser dedada pode ser sua irmã ou no futuro sua filha.Achar q este tipo de comportamento misógino tem justificativa é simplesmente inaceitável. Por estas e outras estou convencendo minha filha de 13 anos a fazer krav maga…

      • Luis Carlos Bezerra

        Eu só digo uma coisa, não acredite em tudo que dizem, principalmente em reportagens que na maioria das vezes são tendenciosas. Obrigado.

        • Skylab

          Cara, curso para aprender a pegar mulher foi uma das coisas mais ridículas que eu já ouvi falar. Na boa, vão fazer terapia. Estão precisando.

          • Jose Belbute

            Terapia precisas tu de fazer!! O mais normal nesta vida é homens gostarem de mulheres e mulheres de homens!! E para que saibas. as mulheres também abordam homens na rua, mas claro que disso ninguém fala… Patético!!!

      • magno andre

        sinto muito carla mais discordo de vc, minha irma ,ou filha quando tiverem maiores, pelo que estou vendo dos Meninos e Meninas(querrinha de sexo) atualmente ! se ela se reproduzir ja vai se um fato historico ! Na parte que vc diz que sem uma mulher nao se viria ao mundo , vc esta parcialmente errada, talvez vc nao sabia , nos ficamos 3 meses no saco do Pai e 9 na barriga da Mae ! sem ambos nao viriamos ao mundo! (krav maga, escola de predadores,leis e mais leis ……cursos….) A Extinçao esta a Caminho !!!!!

    • Bruno Banzato

      Eu também fiz um curso de PUA, mas inicialmente não era assim. A constante competição entre os PUAs, e que nem deveria existir, acabou gerando uma cultura agressiva de pick-up. Os cursos atuais estão exatamente como descreveram na matéria.

      • japzor

        Acredito q os cursos estão mais agressivos pela própria demanda e pelas dificuldades que os homens andam enfrentando.

        Se estão querendo ser cafajestes é porque sentiram que ser “bonzinho” n serve.

        Eles ensinam coisas q muito homem faz naturalmente e q lhes da muito sucesso nisso.

        • THH

          Qual dificuldade os homens estão enfrentando, exatamente? A de aprender a ter uma conversa racional com uma mulher, dialogar sobre assuntos que realmente interessem a ambos e não simplesmente “olhar, gostar e ir” para marcar um número no placar para os outros amigos..?

          • Paulo Guina

            Geralmente quem é tímido tem dificuldades na primeira abordagem, e também dificuldade em encontrar assuntos que interessam a ambos, devido ao pouco contato com as mulheres.

          • THH

            E se a mulher é quem é tímida, e ela não quer conversar? Tudo tem dois lados, as pessoas têm que parar de identificar tudo como dificuldades masculinas ou problemas que homens têm que superar, e perceber que o ser humano é assim, as relações humanas são complexas e exatamente por isso nem tudo dá certo sempre.
            Quantas mulheres sequer abordam homens e perdem oportunidades de conhecer novas pessoas pela timidez ou medo de serem taxadas?
            Então, me desculpe e não quero ofender se for o seu caso (nem estou afirmando que você seja assim), mas timidez nunca vai ser desculpa para receber um treinamento de como adestrar mulheres a te darem atenção..

          • Paulo Guina

            Não, sou terminantemente contra o PUA, é só ver aí nos comentários a discussão que tive com um aspirante a pua.

          • Paulo Guina

            A questão é também saber reconhecer as próprias dificuldades. Eu tenho uma(gravíssima) que é nunca ter assunto com pessoas da minha idade, fico parecendo uma marciano ao tentar me integrar a algum grupo. Enquanto eles falam em baladas, bebidas e festas em geral, eu fico perdido pois não tenho nada a compartilhar, sou um cara caseiro e isso me custou bem caro.

          • THH

            eu entendo, também sou tímida e raramente converso com pessoas fora do meu círculo de amigos… mas ainda assim não acho que a solução para um problema global (se relacionar com pessoas em geral, timidez, etc) se resolva com uma “aula” de um “instrutor” que acha que dedar meninas na balada é ok… e é o que muitas pessoas (não você, acabei lendo os outros comentários por aqui) aceitam como a cultura do homem jovem.
            sou totalmente a favor de cursos, terapias, livros seja o que for que possa ajudar a superar nossas dificuldades pessoais, mesmo que essa dificuldade seja no campo da balada, pegação, como aprender a abordar civilizadamente uma pessoa que te interessou …mas isso simplesmente não..

          • japzor

            Balada e dia sao completamente diferentes. Vc, como mulher, faz muita coisa inconscientemente e levanta barreiras para abordagens.

            O “dedar” pode ser totalmente aceitável se ela assim quiser. O instrutor incentiva isso na balada porque é um ambiente em que esse tipo de coisa acontece, e alem do mais o objetivo deles, na balada, é ir direto para o motel. Que mal há em querer transar com alguem q conheceu ha poucas horas?

          • Anni

            Mal nenhum, se a mulher estiver de acordo.
            O que não é o caso do “Ignora” citado no texto, quando a menina rejeitou a “dedada”.
            O cara vai ficar ali, forçando a mão, a menina falando “não”, e você vem me falar que não é um tipo de estupro,
            Amigo, pensa em alguém tentando enfiar a mão na tua calça e você constrangido e desesperado, falando que NÃO e a pessoa cagando praquilo que você fala.

          • japzor

            Se vc n quer, simplesmente saia. Naquela situação o aluno tava pegando a garota, mas ela estava bloqueando os avanços, se ela se ofendesse com uma “dedada”, ela sairia oras. Se vc esta nos pegas com alguem, naturalmente a coisa vai avançando, qual o problema de tentar?

            Vcs adoram fazer suspense, se fazer de difícil, falam de esquentar antes, de ir pras preliminares, e dai ficam de patifaria aqui?

          • Skylab

            Sério isso? Você REALMENTE acha legal partir para dedada em uma mina?
            Cara, procura um terapeuta e quem sabe, converse com a tua mãe para saber o que ela pensa sobre o assunto.

          • japzor

            Acho sabe porque? Porque se estou ficando com a mina, aos poucos a intensidade vai subindo, dos beijos pra mao boba, dedada e pro sexo.
            Se ela nao quiser ela comunica isso náo só com um “naozinho” frouxo, mas com toda uma linguagem corporal de negação.

            Vcs náo sabem ler. Só vêem uma palavra ou frase isolada e já tiram as conclusões.

          • Daniel

            Há muita coisa de mal em transar com alguem que conheceu ha poucas horas. É a descartabilidade das relacoes humanas, é a objetificacao recíproca. E a consequencia disso é a violencia que se vê no dia-a-adia.

          • Rafael

            Me desculpe, mas a mulher ser tímida não impede em nada dela ter relacionamentos, mulheres quase nunca chegam em um cara, a responsabilidade é toda do homem nesse quesito. Não concordo com as técnicas desse “curso”, mas deve ajudar muito quem é tímido, e sendo assim quem não é mau caráter vai usar apenas a parte boa do que aprendeu… Sem mistérios… :D

          • Elaine Wenz Saisse

            É só achar o teu grupo! procura pessoas que se interessem pelo mesmo tipo de coisa que você, se sair para a balada, nunca vai faltar assunto! Internet ajuda bastante a agregar pessoas com gostos similares. Meu primeiro namorado eu conheci na internet (acabou sendo um babaca, mas me ajudou a superar a timidez). Entra em alguns grupos de facebook e joga conversa fora, um dia a galera marca um encontrão e você descobre que tem vários amigos! Vários amigos do meu marido ele conheceu assim.

          • japzor

            Ou seja, tenta a sorte na internet, q bom ne? Melhor voltar na época dos casamentos arranjados, pq abordar n pode mais q é abuso

          • Elaine Wenz Saisse

            Cara, abordar não é abuso, o que é abuso é não aceitar o não e ficar se encostando.

            Estava só dando uma dica para tentar começar a acabar com a timidez e arranjar um grupo de amigos! Se você quiser continuar sendo moleque, que seja, só não reclama no dia que ao invés de chamar o segurança a mulher chamar a polícia! Vê se aprende a “ser homem” antes de tentar “pegar mulher” porque mulher não gosta de moleque!

            Esse curso forma projetos de estupradores, talvez até estimula o estupro por alguns homens menos bem intuídos! (projeto de estuprador = não sabe respeitar um bom e sonoro NÃO)

          • japzor

            Esse curso é para ensinar qm n sabe nada a pegar “top das baladas” e nivel bailarina do Faustão. Vcs bonitinhas podem ficar tranquilas ai em segurança.

          • Elaine Wenz Saisse

            Ihhh baixou o nível para “feio, bobão, cabeça de melão!” kkkk

            Sério? assim você me mata de rir!

          • japzor

            N é nenhuma mentira. Mulher muito bonita tem características diferentes, sao abordadas de jeito diferentes, foram tratadasde jeito diferente na vvida.
            Sao mulheres q os homens em geral acham inalcançáveis.

          • Elaine Wenz Saisse

            Todas as mulheres são diferentes, todas são seres humanos com suas vivências e experiências, mas acho muito difícil qualquer mulher gostar de ser abusada. Ela pode se conformar, achar que o mundo é assim, que isso está certo porque os pais dela falaram que é assim, mas ela não gosta.

            Confiança é importante em qualquer lugar da vida, mas também é necessário saber quando desistir.

          • Julia

            “bailarina do Faustão” também merece respeito.

          • japzor

            Vc pode ajudar os homens de bem, basta dar a chance para aquele cara q ta ha alguns meses conversando timidamente com vc, ou q vc fala q é seu amigão (e é realmente super legal), enquanto rejeita todo e qualquer homem q venha falar com vc e q, a primeira vista, pareça ser muito atraente

          • Daniel

            THH,imagine que você é um homem. Imagine que , na condicao de homem, você é vistto como um nada, como ninguem, se as mulheres nao te julgarem atraente. Imagine que, alem de viver em uma sociedade que te obriga a ser “pegador”, para ser um você tem sempre que abordar, qe tomar a inicaitiva, sempre se sujeitar a tomar um fora, e, a cada nao, o ego masculina, já frágil, fica pior ainda. Daí temos estatísticas que 85% dos suicidas sao homens e nao sabem explicar so motivos.

          • Camila

            Então, se a sociedade te obriga a ser um pegador o que você faz é abaixar a cabeça pros padrões sociais podres, padrões esses que dentre outras bizarrices, dita que um cara tem que fazer currículo de pegação numa noite enquanto as meninas devem ser passivas às abordagens dos “machões bombadões”?! Isso tudo tá num nível de bizarrice absurdo, e vocês não tão sacando… Nada disso é normal nem justificável, as mulheres (TODAS QUE EU CONHEÇO) têm nojo de caras assim, e não importa se eles tão de mimimi porque são tímidos. As mulheres que vocês abordam pra superar a timidez não têm nada a ver com o problema de vocês. Se não conseguem resolvê-lo sozinhos, PAGUEM UM ANALISTA

          • Daniel

            Abaixar a cabeça? Ainda bem que faz tempo que terminei o ensino médio, porque naquela época eu fui agredido fisicamente por voltar “zerado” de festas de colégio. Simplmesnte porque nao concebia, ainda como hoje nao posso conceber, beijar alguem sem amor.

          • Camila

            Bom, se você não concebe “beijar alguém sem amor” deve estar longe de conceber esses cursos para caçadores de garotas como minimamente aceitáveis, devia repudiá-los invés de tentar justificá-los com base nos padrões sociais equivocados sob os quais vivemos (o que, repito, não significa que devemos reiterar esses padrões).

          • Daniel

            Nao justifico nem concordo com cursos concebidos dessa maneira. Mas lembre-se que cabe ao homem tomar a iniciativa (infelizmente, não acho que deveria ser assim, mas é) e que normalmente o homem nao faz ideia de como fazer isso. Entao é necessário existir algum curso para isso, mas nao dessa maneira, nao incentivando tal tipo de prática.

          • Camila

            “cabe ao homem tomar a iniciativa”?!!
            Caralho, desisto!!… Essa galera tá de olhos vendados, presos no século passado e confortáveis demais com esse lugar pra tentar contestá-lo…

          • Camila

            Se você não acha que deveria ser assim, não reitera o padrão, porra! Você não seria o primeiro nem o último a passar por cima das babaquices que fora institucionalizadas; Fodam-se os padrões que foram dados há séculos atrás! Fodam-se! Tá mais que na hora de reconstruir as coisas lucidamente!

          • Daniel

            Concordo 100% com voce!

          • Paulo Guina

            Concordo, é só não reiterar o padrão, mas tem que saber que isso terá uma consequência: solidão. Ou então dar uma sorte de ter uma mulher que aborde.
            E também não vai poder se comparar aos outros, pois o cara que é escroto vai ter resultados melhores, devido a esses padrões escrotos.

  • Elaine Wenz Saisse

    a velha arte de misturar verdades conhecidas com as besteiras para parecer entendedor!

    o que realmente faz sentido dessa tal aula é ter confiança e ser você mesmo:

    “Três regras básicas:
    1) Olhou? Gostou? Vá até ela;
    2) Quando falar com uma mulher, fale “como homem”, não como “amiguinho”. Deixe claro seu interesse;
    3) Se divirta no processo.”

    “Se você for você mesmo e ela não gostar, vocês não combinam. É melhor para os dois que isso fique claro”

    Mas logo é demostrado o quanto esse “instrutor” não entende de mulher:

    “se a menina não for embora ou ameaçar chamar o segurança, não há motivo para desistir”

    “Não existe esse negócio de mulher ir pra balada pra se divertir. Mulher vai pra balada pra dar. Se quisesse se divertir ficava em casa vendo um filme com as amigas”

    sério, tem mulher que gosta de dançar! E qual o problema da mulher não querer ficar com um carinha qualquer? É o retrato do homem machista procurando seus iguais.

    • japzor

      Vai pra dançar de micro vestido e salto alto? Por que nao vai de tênis e calca? Arranja outra desculpa. Quem vai pra dançar tem como perceber de longe.

      A culpa disso tudo parte das próprias mulheres, que tem q ficar pagando de difícil para n ser taxada de vagabunda.

      Falam mal dos caras chegando, mas ficar com o nerd introvertido q mal consegue conversar frente a frente elas n querem.

      • Gabriela Sombrio

        Cala essa tua boca, machinho escroto. Quem tu acha que é pra sair dizendo o que nós mulheres queremos ou não?
        Mulher sai pra ONDE ela quiser, vestida COMO quiser, pra fazer O QUE quiser. Mulher não se arruma só pra homem não, para de achar que o mundo gira em volta desse teu pinto sujo.

        Que NOJO disso tudo.

        • japzor

          Feminazi detected.
          Se tem uma área comoda pra vcs é a parte da atracão/flerte, já q vcs n tem q fazer nada, n dão a cara a tapa.
          Blz, vc quer ir de salto alto pra ficar pulando, muito inteligente ne? Torce o tornozelo ai. Sai de micro vestido, n pode nem abrir as pernas direito. Larga de ser hiprocrita, sai de calca e tênis q vc dança q é uma maravilha.
          É claro q vcs n se arrumam para os homens, se arrumam para as outras mulheres, para se sentirem superiores

          • Elaine Wenz Saisse

            Um segredo sobre as mulheres, e é de graça, nós nos arrumamos para nós mesmas! Olha só que surpresa! Gostamos de nos sentir bonitas e, se não estivermos afim, não nos arrumamos! É claro que tem mulher que quer “pegar homem”, assim como homens que querem “pegar mulher”, mas se ela diz NÃO, é porque ela não está afim! Imagine só! “Não” significa “Não”! Esse português me prega umas peças!

          • japzor

            Mulher fala nao mesmo quando quer dizer sim, por isso da essa porcaria toda. Se vcs simplesmente dissessem “eu dou um chance para vc tentar me seduzir” ao invés de dar aquele nao meio sem vergonha, talvez nada disso fosse necessário.

          • Elaine Wenz Saisse

            E nada disso é necessário! Por que ao invés de ensinar a abusar da mulher eles não tentam ensinar a ler linguagem não verbal? Uma mulher nunca diz um não direto quando quer dizer sim! No máximo dá uma desconversada! Não é necessário ficar se encostando, se esbarrando e achando que as mulheres estão todas ali para dar! Algumas mulheres querem, sim, mas pode, ainda por cima, não ser com você!

          • japzor

            Homem n percebe essas coisas. Ou vc fala logo as suas intenções ou esquece, porque nao vão sabem quando a mulher demonstra. Estudar linguagem corporal faz parte, mas é muito demorado para entender e identificar. Alem do mais, a maioria tem mais dificuldade em chegar perto, conversar, ficar de frente ou ate de tocar as mulheres.

          • Elaine Wenz Saisse

            Mas um não direto é fácil e perceptivo, e significa não.

            Entendo que o homem moderno ainda não achou o lugar na sociedade com a liberação feminina, mas isso não significa que o ideal é retroceder! Se tem mais de 1mil reais para investir em aula de como quase estuprar mulheres, não falta dinheiro e vontade de aprender a se relacionar como dois seres humanos!

          • Anna Karstein

            Quem sabe então com um belo tapa na cara você finalmente entendam que NÃO é NÂO!

          • magno andre

            Japzor , no sec 21 , ta dificil de se comunicar ! fui numa baladinha , chegou uma Menina e me disse ,vc nao ta vendo que to de dando mole a noite inteira , vc e Viado por acaso ? percebe !! como eu comunicar pra ela que nao percebi pois a amiga dela tava me dando uns cato no banheiro ! Entenda se uma Mulher diz Nao e Nao (ou talvez), se um Homem diz Nao e Viado ! A comunicaçao do seculo21 ,ta uma Droga de entender.kkkk
            E mesmo Achando que vc e gay elas continuam Dando em cima ,vai entender !

          • Daniel

            Na verdade, nao, muitas vezes, significa “batalhe mais”.

          • magno andre

            Nos homens so vamos para as Baladas pegar mulher mesmo ! Afinal por que pagariamos mais caro nas entradas?Tem mulher que sem um centavo e sai bebinha e acompanhada ,gastamos mesmo . rs,,Por que os donos(as) do estabelicentos combram meias entradas ou deixam mulheres entrarem de graça ? sera que e por que eles sabem que se nao tiver mulher la ,os homens nao vao ? Po ta cheio de bares por ai ne! Supresa Gostamos de Sexo !!!!!!!!!!

        • japzor

          E quem sou eu pra dizer o q vestir? Vc faz exercício fisico de sapato? Vai pra casamento de pijama? Então cala a sua boca.

          • Camila

            WTF???!!

        • Daniel

          O mesmo tratamento que voces deram pra camiseta do cara que botou uma sondo num cometa, ne?

      • Elaine Wenz Saisse

        Ela está de micro vestido e salto alto porque QUER estar de micro vestido e salto alto! Sou casada com um desses nerds introvertidos que você falou e conheci ele na balada! Ele me chamou para dançar e conversamos muito, ele não ficou tentando encostar em mim ou qualquer outra coisa forçada, ele simplesmente foi simpático, bem humorado e NEM UM POUCO MACHISTA, o que talvez te falte para “conseguir mulher” é aprender a RESPEITAR, acredite, faz toda a diferença!

        • japzor

          Tem gente q é burra mesmo e quer continuar assim. Já q vc pode tudo, faz o q quiser, mesmo que seja sem razão alguma.

          “Respeitei” mulher quase a vida toda. Sabe o q aconteceu? Foras e mais foras, virgindade, mulheres esnobando.
          E depois de aprender um pouco de PU? Sucesso.
          E sem ser nada imbecil como vcs acham.

          • Elaine Wenz Saisse

            Provavelmente a diferença que você sentiu foi confiança. Não discordo que confiança faz diferença, e ir conversar não é problema, o problema é quando passa o senso comum.

            Mulheres não pensam assim tão diferente dos homens assim para você não conseguir se colocar no lugar de uma. Sempre que for abordar, ou mesmo se relacionar com outro ser humano, se coloque no lugar dessa pessoa, pense se você ia gostar de ser tratado de determinada maneira. Se a resposta for não, então não trate outra pessoa assim.

          • japzor

            Sempre penso isso, pois numca fui grosso ou imvasivo, mas boa parte das vezes levo um fora com grosseria.

          • Elaine Wenz Saisse

            é porque a mulher provavelmente já foi abordada tantas vezes e o cara não soube reconhecer um não que ela já está com as pedras na mão.

          • Jose Belbute

            As mulheres são diferentes do homens sim… Enquanto as mulheres são mais emocionais, os homens são logicos!! Isso vem do tempo das cavernas em que a mulher ficava em casa a tomar conta das crianças e o homem ia caçar. Embora nos tenhamos evoluindo a nossa maneira de pensar e de agir, a nossa biologia continua sendo assim. O que faz com que muitos homens não saibam agir perante o facto de as mulheres hoje em dia serem mais independentes. Nesses cursos (obviamente este aqui falando não será muito assim, porque o instrutor/jornalista não faz ideia do que esta dizendo. Quando uma rapariga diz que não e parece se estar a rir ou divertindo, não há razão para parar de conversar. Mas se uma moça der um NÃO directo, ai sim. nos saímos educadamente, agradecemos positivamente e desejamos boa noite… so isso!!!) o que acontece também é que os homens tímidos aprendem a ter confiança e também a se desenvolverem a eles próprios sendo melhores pessoas. O objectivo é esse, não é violar ninguém. O que se quer é que os homens encarem a vida de maneira positiva, que sejam simpáticos com toda a gente, mais sociais, fazer mais amizades etc..

            Se alguém vai usar isto para violar mulheres( até agora não me parece que tenha acontecido muito, mas psicopatas ha em todo o lado, e geralmente não precisam destas coisas, porque são pessoas muito confiantes, sem remorsos, que conseguem facilmente manipular os outros), é porque deve ser doente da cabeça…
            O pua é para nos melhorarmos a nos próprios e também para dar boas emoções as mulheres… É “win-win” todos ganham como se diz…

            Infelizmente é algo novo, e as pessoas receiam sempre o desconhecido.

          • Anna Karstein

            Imbecil e abusivo sim!

      • Caio Paiva

        Sério, jogar a culpa nos outros pelo próprio comportamento é sinal de fraqueza.
        Elas falam mal dos caras que elas não querem que cheguem nelas. Estão erradas? Acho que não, cada um tem o seu interesse.
        Da mesma forma que você afirma que elas não querem ficar com o cara nerd que mal conversa, você também não quer ficar com a menina nerd e tímida que não chama atenção, correto? Só que elas estão erradas por querer isso, você só está agindo normalmente.
        Boaaaa, assim vai longe.

        • japzor

          Cara, n fala sobre o q vc n sabe. Toda a sedução vem desde a época dos macacos e suas raízes permanecem ate hoje.

          • Caio Paiva

            Ok, mas o que está errado no meu raciocínio? Ele não se aplica de ambos os lados?

          • Camila

            É, todo seu raciocínio é beem primata mesmo, tanto que não enxerga que vivemos numa época onde as pessoas são complexas e há infinitas outras diferenças e especificidades em cada indivíduo que vão muito além do “homem ou mulher”, afinal de contas, faz um tempinho que o obejtivo das relações não é mais a reprodução instintiva da espécie, né?

  • Annah Sarah

    tem babaca que acha que isso é status…vai ser um namorado digno e um pai exemplar que ai ele mostra que é o cara…ser um otário qualquer um pode, mas o pior é que esses pagaram para ter diploma de otário.

  • Clarissa

    Faltou colocar o nome desses caras. Proteger professor de assédio e estupro não é nobre.

  • Felipe Palácio

    Se o cara é solteiro, tem dinheiro para torrar e tempo disponível para se expor a isso qual o problema? Poucos vão para a balada para “dançar” ou simplesmente “se divertir”. Cada um faz o que quer e isto se chama “lazer”. Tem gente que prefere ir em estádio para brigar, tem casais que preferem as casas de swing e tem gente que vai pra balada competir por garotas… Não vejo anormalidade nenhuma nisso (exceto o fato de ter que pagar alguém para te ensinar isto)….

    Está ficando cada vez mais comum ser hipócrita e julgar tudo e todos neste país…. eu heim!?

    • Paulo Guina

      Você não vê nada de errado em agarrar uma mulher a força? E se fosse uma da sua família?

      • japzor

        Procure entender como é a atracão em ambos os sexos e vc vai entender q sua pergunta n é exatamente essa

        • Paulo Guina

          Não entendi. O que atração tem a ver com estupro?

          • japzor

            A atracão n é gerada como se fosse um Tinder, q cada um da sim e pronto.
            A mulher se sente atraída pela coragem e vai se intensificando com o toque.
            O cara chegar falando oi, depois um beijinho e em seguida já partir para um semi-abraco n tem nada de abuso.

            Se esta dizendo sobre a passagem q o cara fala pra ele n ligar e continuar colocando a mao na barriga, é uma situação em q o “aluno” esta aaprendendo como deve fazer qdo der certo, ao mesmo tempo que tem q insistir, pois mulher nao da bola pra qm desiste logo.
            E n tem nada de estupro ai

          • Paulo Guina

            Não tem? Insistir com o contato físico mesmo com um não é estupro sim!

          • japzor

            Começo a achar q está mentindo sobre ser pua, ou é muito iniciante.

            Conversei com vários casais amigos meus, q só comprovam o quanto a insistência é atraente e é premiada. Todas falaram q “eu n queria ficar com ele, mas ele insistiu e eu beijei, dai hj estamos namorando”.

          • Paulo Guina

            Eu nunca fui PUA, e me orgulho disso. kkkkkkkkkkkkk.

            Então essas mulheres possuem problemas mentais ou são infantis, pois é a única opção pra quem pensa dessa forma.

          • japzor

            Infelizmente a imprensa destrói a imagem da comunidade sem saber de como é na verdade.

          • magno andre

            Isto mesmo, ta certisimo , nao seja PUA mesmo! As mulheres precisam de homens com poucas experiencia iqual a voce Paulo ! Afinal um dia elas vao ter que casar ne? e ai que vc entra !kkk

          • Paulo Guina

            Se o homem pode ser experiente porque a mulher também não pode ser?
            Aliás, você se casa com o passado da pessoa?

          • magno andre

            Entrei para uma comunidade crente e me casei ,por la sabe! So que antes de casar , ela quiz saber ,no que trabalho, se no passado eu fui ex-drogado,ex-pedofilo,ex -drogrado,,Ex-assasino ,ex-Gay ,ex -molestador .etc…etc… ,senao ela nao casava ne! casei com ela , pois uma pessoa que pesquisa o passado antes de se relacionar ,e uma pessoa inteligente , e pra se iqualar a inteligencia dela ,tambem pesquisei o passado dela !

          • magno andre

            Ha ia esqueci de falar sobre homem e mulher experiente ne ! ta ai

            Por que o homem promíscuo é o bom, o garanhão enquanto que a mulher promíscua é simplesmente puta?

            A primeira resposta que a vem a mente da maioria das pessoas é de que simplesmente vivemos numa sociedade machista e por isso injusta com as mulheres. Entretanto essa resposta é tendenciosa e deturpa a possibilidade de uma resposta satisfatória a pergunta do título.

            Então, não sejamos asnos e não fiquemos papagueando o que qualquer néscio diz.Pensemos um pouco, para uma mulher de beleza mediana ou até menos, uma mulher que não seja considerada feia e que tenha o mínimo de atrativos físicos.Essa mulher pode conseguir sexo com vários homens por dia sem fazer muito esforço, basta que ela ceda às muitas investidas e indiretas que recebe ao longo do dia de vários homens. Ou talvez que se insinue um pouco, para assim ela poder dizer que fez algum esforço.
            Para uma mulher é muito fácil conseguir sexo porque o desejo sexual do homem é praticamente constante durante todo o dia e portanto sempre disposto a transar. Que dificuldades enfrenta a mulher?Quase nenhuma!

            Agora pensemos no caso do homem. Para homem convencer uma mulher a fazer sexo com ele, ele precisa vencer uma certa resistência dela que pode ser por não achá-lo atraente ou bom o suficiente para ela.Outra dificuldade é que a libido na mulher varia ao longo do dia e depende muito da fase do ciclo menstrual, sendo o desejo sexual nela mais intenso nos dias férteis, cerca de oito dias.

            Para um homem vencer essa resistência da mulher em relação a sexo, o homem precisa ter certas características físicas e psicológicas, boas habilidades de lábia, boa expressão corporal e muita autoconfiança. E se tiver carro e dinheiro é meio caminho andado, apesar de que é bobagem pensar que apenas carro e dinheiro são suficientes para isso.
            Portanto, percebemos que não é nada fácil um homem ser promíscuo. Por isso homem que tem várias mulheres acaba se destacando mesmo e atraindo o interesse de mais mulheres. E ainda que seja bom ter muitas mulheres, haja tempo e saco pra lidar com joguinhos femininos.

            Tendo isso em mente percebemos que uma mulher ser promíscua é a coisa mais fácil do mundo, o difícil na situação da mulher é se manter virgem ou ser recatada.E por isso muitos homens valorizam esse segundo tipo de mulher.

            Para o homem o mais difícil é conquistar várias mulheres e levá-las para cama, enquanto que ser virgem é o cúmulo do fracasso e praticamente nenhuma mulher valoriza isso, mulher gosta é de homem experiente.

            Então, é idiotice querer julgar homens e mulheres da mesma maneira, afinal são diferentes e procuram coisas diferentes.E não adianta vir com discurso politicamente correto pra mim, o que importa é a realidade.

            Querer que os homens vejam mulheres promíscuas como boas para relacionamentos é o mesmo que exigir que as mulheres se interessem pelos virgens e pega-ninguém sendo que esses nem são considerados homens pelas mulheres, eles são tratados como invisíveis ou como amigos eunucos

          • Julia

            “é o mesmo que exigir que as mulheres se interessem pelos virgens e
            pega-ninguém sendo que esses nem são considerados homens pelas mulheres”
            Se fosse assim todo homem morria virgem..

          • magno andre

            KKKK.So nao morre virgen por que mente paras Meninas que nao e mais virgem , faz cursos puas, sai com garotas de programas ,E as vezes alguma Amiga com pena .da alguma migalha de sexo para o coitado ! (Mulher Odeia Virgem), alias aqui mesmo no site tem um cara de 25 anos Virgem apoidando a materia na esperança de receber algumas destas migalhas ! kkkkkk sabe de nada (julia) inocente !!!

          • Julia

            Muita mulher prefere homem experiente, assim como muito homem prefere mulher experiente. Mas tem mulher que não se importa se o cara for virgem e até gosta. O problema de caras como você é querer falar em nome de mulheres com esse tom superior. “mulher que vai pra balada quer dar”; “mulher que sai de salto alto e saia curta quer dar”, “mulher odeia virgem”. Seria legal começar a entender que cada mulher é única e pensa de um jeito diferente.

          • magno andre

            Onde no meus textos ,eu falo de roupas, ou mulher quer dar? falo que tem mais facilidades de dar nos 8 dias que sente tesao! Pois o tesao da mulher e (hormonal) nao e constante iqual dos Homens! Voce esta me julgando pelo tipo de homens que voce se relaciona ne ? Sou (voyager) e adora uma mulheres de roupas curtas ,para exibir como trofeu e o pessoal morre de inveja !!! Gosto ate mais que sexo .kkkkk Leia os textos e interplete e nao ponham palavras na boca dos outros. kkkkk

          • Julia

            Você não disse aquilo mas acabou de dizer que ver mulher como coisa = troféu. O tesão do homem não é hormonal? To te julgando como o babaca que você é mesmo. Se antes tinha dúvida agora tenho certeza.

          • magno andre

            Nossa que revolts, 1.Hormonal constante ,sem variaçoes ! 2. Nao e babaca e voyager e existe homens e mulheres que sao ( homens com barriga de tanquinho,carroes e status etc,….) elas tambem exibe estes homens como trofeis ! eu sei que nesse seu mundinho vc so ve machismo e feminismo ! Mas o mundo e mais que isto ! Nos voyagers (mulheres e homens ) nos relacionamos muito bem mutuamente ! Nao vou te ofender co adjetivos iqual fizeste comigo ! Afinal vc pode ser uma futura Voyager Ne !!! Amo vc apesar de tudo! abraços !

          • magno andre

            Julia !!
            To falando so das mulheres que meus amigos e amigas (lesbicas) ,relataram ,claro 99% ,pois teve uma que preferiu um cara virgem ! Mais na democracia a maioria e o que vale ,Falo por estas !!!

          • Paulo Guina

            Errou a minha idade, tenho 19.

          • Jose Belbute

            Exacto mas o problema dessas diferenças é a sociedade… A mulher deve fazer o que quer e o homem também. Não vai acontecer para ja uma igualdade 100%, mas um dia acredito que possa vir a acontecer. Já existem mulheres nas ruas e em discotecas a abordar homens também, e porque não?? Porque haveriam as mulheres de esperar que alguém as aborde?? Por isso, é bom o homem abordar mulheres desde que não seja um maluco esquisito ou tarado e o mesmo na situação da mulher.. temos um longo caminho para evoluir, mas temos de o fazer!!

          • Jose Belbute

            Japzor, isso é das historias mais contadas de sempre!! E uma grande verdade… conheço muitas pessoas mais velhas que começou assim… é perfeitamente normal… só hoje em dia é que tudo é violação!! enfim…

          • Caio Paiva

            Paulo, o cara tem esse comportamento até um dia forçar a barra e acabar se estropiando. Dai ele vai perceber o qual certo é forçar uma situação em cima da garota já que ela “saiu pra dar e não pode dizer não”.

      • Felipe Palácio

        Me desculpe, mas em nenhum trecho o autor do texto disse que houve uso de força.

        • Paulo Guina

          “Ela não me deixava nem encostar na barriga dela, mandava tirar a mão”. “Ignora”, respondeu o assistente, rindo.

          A apologia de tal ato também é crime.

          • japzor

            Isso se chama shit Test. Ela barra seus movimentos como um teste para ver se vc tem coragem e atitude para vence-la. Se a mulher n quiser, basta ela empurrar evirar as costas.

          • Paulo Guina

            Isso se chama negação.

          • japzor

            Isso é o q todo homem banana pensa. Boa sorte em se tornar o cachorrinho delas, depois qm sabe com sorte virando o chifrudo manso.

          • Anni

            Me desculpe, mas o banana aqui é você.
            Existe vida FORA da balada. Quero ver você sustentar uma conversa com uma mulher inteligente, uma conversa que seja consistente em que você e ela participem, sem que você cague para o que ela pense.
            O que esses caras ensinam é bizonho, ruim e se baseia em argumentos fracos de dominação.
            Os instruídos querem dominar, mas obedecem feito cachorrinhos o instrutor que se considera “macho alpha”. HAHAHAHAHAHAH

          • japzor

            Vcs mulheres cairiam fácil nessas coisas, porque seu lado emocional é q manda. Por que sera q tanta mulher fica com bandido, com caras q n prestam,e etc?

          • Jose Belbute

            Exacto.. as mulheres são emocionais e os homens são lógicos, por isso a nossa dificuldade… Mas a ideia (a minha pelo menos) é nem ser bonzinho nem o bandido, é mais ser o bonzinho com atitude, que é divertido e traz a mulher à sua realidade de diversão e emoção!! Não tem nada a ver com violações nenhumas!! Tem de ser sempre win-win, tem de ganhar o homem e a mulher com a interacção…

          • Anni

            Isso se chama “NÃO”.
            E a mulher não é obrigada a sair do local.
            Se o homem não for burro que nem uma pedra, deveria perceber que não está agradando e sair.
            Coragem e atitude pra vencê-la é o cacete. Não é não.

          • japzor

            Vc q pensa, vc aceita qualquer um? Duvido q em algum momento vc n disse um “náo” para alguem quando quis dizer um “sim” ou “talvez”.

          • Elaine Wenz Saisse

            Daqui a pouco a mulher vai ter que jogar a bebida, dar tapa na cara e chutar o saco para mostrar que não está interessada? NÃO SIGNIFICA NÃO!

            Já passei por isso de não aceitarem não, tive que mostrar meu anel de noivado para o cara respeitar meu noivo, já que o meu não ele não queria respeitar! E olha que foi uma das poucas vezes que saí para dançar à noite… Me revolto com isso até hoje!

          • japzor

            Sabe porque teve q mostrar o anel?
            1- porque a primeira desculpinha é dizer q tem namorado
            2- porque mesmo se dizendo comprometida tem mulher q trai nas baladas.

            A negação inicial é inconsciente. A linguagem corporal diz a intenção d mulher. Vc as vezes nem sabe, mas faz pequenos joguinhos mentais esperando q homem passe no teste e “seja digno de vc”.
            Apenas seu lado logico n se da conta disso na hora

    • magno andre

      E mais estes cursos sao revoltantes ! Veja se eles dos cursos acaberem com os timidos ,fracassados etc……, Quem vai se casar com as Mulheres que saem com os Cafas (olhe sao muitas viu) ! Quem vai ser o Padastros das Crianças geradas pelos cafas ! Poxa eu tenho Irma ,ela tem 2 filhos com Pais diferentes ! E se casou agora com um cara timido e inexperiente e Trabalhador sabe ! Olhe em sua volta a varias mulheres que cometeram uns deslizes e merecem um recomeço ! vcs nao tem irmas ,primas ,tias,etc… nao ! Digam nao Aos cursos( Puas), ironizem homens,que fazem estes cursos ! O equilibrio da natureza precizam destes caras ! Uns fazendo ,,outros cuidando ne !! E a lei.kkkkkk

      • japzor

        Os caras eram puas? Ou sua irma q é culpada por nao saber escolher? Tomou 2 tapas na cara pra aprender q “homem que presta é o tímido trabalhador”? Por quesera q ela n pensava assim aantes?

        • magno andre

          os caras eram cafajeste mesmo! Elas adoram.kkk , ela casou com o bonzinho , por falta de opção . mais ainda gosta mesmo e de um belo cafa ne! E que o cafa não ajuda em casa nem nas despesas . e criança custa caro sabia ? Nao aos puas , mais homens bonzinhos !!!!!

          • japzor

            Digo q 2 tipos de homens estragam as mulheres: os cafajestes e os cachorrinhos.
            O pua ensina o cara a ser o meio termo, ter as características atraentes do cafajeste, mas ser amável como o cachorrinho.

          • Jose Belbute

            É isso mesmo japzor!!! Quantas mulheres não querem um homem assim e não conseguem ter…

  • Luis Carlos Bezerra

    Conheci o PUA a uns 4 anos e hoje posso dizer com propriedade que mudou minha vida, abriu minha mente para entender como funciona a cabeça das mulheres e o que eu deveria fazer para me tornar um homem atraente aos olhos delas, com isso não apenas consegui atrair mulheres, mas em um contexto mais amplo entrei em um processo de evolução pessoal. E aos que acham que ser PUA é desrespeitar mulheres e ser machista, é por que não conhece. Ser PUA é ser para as mulheres o que elas esperam de um homem!

    • japzor

      Perfeito. Se fosse moleza se relacionar n existiria esse estudo.

  • brotherzero

    É foda… por causa de babacas como esses que eu não falo pra ninguém, nem pra minha família, que eu fiz um curso desse.

    Mulheres, acreditem, nem todos os cursos de PUA ensinam essas táticas agressivas. O que eu fui ensinava como abordar SEM invadir a zona de conforto dela, prestar atenção nela, estabelecer uma sintonia com a pessoa ANTES de começar a sexualizar a interação, e quando sexualizar, ir de forma gradual, medindo o nivel de conforto dela com você e adaptar o ritmo no qual o contato fisico é “escalado” de acordo. E se ouvir um “não” é “ok obrigado, tchau”.

    E faz muito mais sentido isso! Oras, é muito mais fácil ficar com uma mulher que está a vontade na sua presença, sorrindo e dando risada do que uma que está se sentindo repugnada e ameaçando chamar o segurança!

    • Oliveira Costa

      Comentário mais sensato até agora, brotherzero.
      Os jovens precisam, na maioria dos casos, de uma orientação mais detalhada sobre como se tornarem atraentes aos olhos das mulheres (ou homens).
      Um ensinamento valioso que o PUA verdadeiro ensina é o respeito ao espaço do outro, e isso demanda saber a hora certa de se aproximar ou recuar. O problema é que isso requer um “ajuste fino” na técnica e geralmente só se aprende com o tempo (e prática sensata, obviamente).
      Não vejo problema algum em jovens rapazes ou moças tentando descobrir como atrair e seduzir outras pessoas. Faz parte da nossa natureza querer se relacionar com outras pessoas, de forma a criar um compromisso ou não.
      Os treinamentos, a meu ver, são bastante úteis para quem não tem possui habilidade social suficiente. Não dá pra chegar numa garota e perguntar pra ela: “Oi, você parece ser uma jovem inteligente e adorável. Como faço pra te conquistar?”. Pode parecer muito bonitinho e tal, mas não estamos num dos romances da Stephenie Meyer. Isso aqui é o mundo real e, no mundo real, uma abordagem dessas pode causar estranhamento (polêmicas à vista)
      Gostei da coragem do repórter (Caio Costa) em expor seu descontentamento com o “treinamento” recebido, mas é bom destacar que ele não apresentou sua crítica de forma clara e de maneira a apresentar soluções para o caso. Eu sei, eu sei…. o autor do texto mostrou várias barbaridades, mas creio que faltou sua palavra sobre o que ele achava de cada uma daquelas orientações.
      Faltou dizer como ele achava ser o jeito certo de se relacionar com outras pessoas numa situação de paquera.
      Provavelmente o autor viu as reportagens sobre o Julien Blanc que circularam na mídia no último mês, pesquisou um pouco no Google, ficou curioso e decidiu participar do curso apresentado no artigo.
      Da maneira como ele escreve, parece que todo PUA faz o mesmo que os seus instrutores ensinaram.
      Quando conheci o PUA, anos atrás, a proposta apresentada era tirar pessoas do ostracismo, da depressão e dar-lhes uma vida social. Eu aprendi que não é chegando nas garotas de forma desesperada, tocando, pegando pelo braço, falando apenas de si e dos seus gostos pessoais que se obtém o interesse desejado. Aprendi que uma das coisas que mantém a outra pessoa interessada em você é fazê-la se sentir bem na sua presença e não ser o cara chato que não sabe a hora de parar. No PUA há um nome para isso: “falta de calibração”. Acontece quando o cara não percebe o desinteresse da mulher e continua sua abordagem até que ela chame os seguranças da festa.
      O Caio (autor) teve uma experiência diferente da que ele talvez esperava.
      Creio que quase tudo que o ensinaram nesse “curso de sedução” está errado. Se ele não gostou do que foi ensinado, deveria pedir o seu dinheiro de volta. Provavelmente ele não receberá seu dinheiro, mas não custa tentar, né?
      Finalizando, não aprovo o que foi ensinado ao autor, porém, acho bastante tendencioso falar mal, de forma genérica (como em alguns comentários desta página) do PUA. Nem todos nesse ramo são “maçãs podres”.
      O ponto-chave da discussão deveria ser sobre a ética das pessoas que difundem conhecimento de forma distorcida e com o mero objetivo de “usar” o próximo como um meio para a satisfação de seus desejos.
      Desculpem-me se me estendi no meu comentário, mas eu precisava deixar bem claro o que achei do artigo.

  • caio

    Assim como tudo na vida tem curso de merda e tem cursos bons. Ja fiz um curso desses e nao tinha nada a ver com o que o cara relata, esse instrutor eh bem sem noção

  • Panico

    O pua é um universo incrível, o problema é que a maioria dos jovens são inseguros, tem crenças-limitantes e isso ajuda a acreditar em qualquer merda que falam… o pua não serve só pra ajudar você com mulheres, mas também na vida, te ajuda a reconhecer seus valores, a sair da sua zona de conforto, a se comunicar melhor, entre outras várias coisas.
    As mulheres tem uma visão muito superficial do pua, se parassem de ser tao cabeça dura e lessem um pouco aposto que mudariam de entendimento.

  • Tony Barbosa

    Eu estou impressionado com a existência de uma merda dessas, lavagem cerebral total, o tal Sr “C” sofre de uma doença psicológica séria e pensa na sua ilusão que ‘resolveu o problema’, eu sou suspeito pra falar pois sou uma pessoa timida, encontrei minha alma gemea e estou muito feliz com a minha namorada, mas se fosse solteiro eu nunca faria isso só pra “comer” mulher, prefiro muito mais ser eu mesmo e ficar com as minhas qualidades e defeitos do que ser um mongolóide alienado,ignorante! Interessante que os participantes na tristeza de se sentirem inuteis quanto ao sexo oposto não conseguem desenvolver ou receber apoio necessário para se sentirem confiantes de serem eles mesmos e melhorarem o suficiente para conquistar as pessoas e desenvolver relacionamentos sejam eles de 1 ano ou 1 noite.. e ai uma mente já abandonada se “segura” num curso absurdo desses. Fico imaginando o quão divertido seria se as irmãs, mães,primas e etc desses instrutores fossem abordadas com as mesmas técnicas. Uma pena que nem todas as mulheres tem consciência desse tipo de animal irracional a la bolsonaro.

    • Paulo Guina

      Matou a pau! Ninguém com uma vida afetiva saudável participa de um cursos desses, são caras(como eu) que chegaram ao fundo do poço e se agarram na primeira promessa de salvação. Por sorte a minha lucidez voltou e eu caí fora a tempo.

  • Sheyna

    Fim de mundo pra quem precisa disso pra sobreviver e pegar alguém!

    VTNC!

    Oh!

    1) que levar pra treinar em balada GLS não vale

    2) pelas descrições os próprios treinadores são loosers

    3) viaja horas pra fazer um curso desses?!

    4) “Se quisesse se divertir ficava em casa vendo um filme com as amigas” = vsifdê

    Nojo! Cadê a capacidade própria de ser você mesmo? ! É tão vergonhoso assim ser quem você é? !

    • Paulo Guina

      As vezes é vergonhoso ser eu msm. Eu nunca fiz um curso desses, mas entendo o que passa na cabeça de quem se propões a isso. Infelizmente a sociedade é baseada em padrões, e quando você está fora dele é impossível aproveitar algumas coisas boas da vida.

      • Lua

        Cara vc só tem que achar sua turma, super me identifico com o que vc falou. E falando lembrei do meu ex namorado, perdi a virgindade com ela, eu com 19 e ele com 18. Sendo que ele nunca tinha nem beijado ninguém, e era super “mimimi friendzone” mas fora isso um cara bacana e muito inteligente. Ele tinha um problema físico que fazia com que ele fosse ainda mais introvertido. Acontece que as pessoas tem tempos diferentes, Existe padrões que são uma merda? Sim, mas felizmente o mundo é enorme e as pessoas vão além deles. Te indico fazer algum tratamento pra timidez se for algo realmente muito sério. E procure espaços em que vc possa se relacionar com pessoas que compartilhem os mesmos interesses que vc. Esse meu ex hoje em dia é bem ligado na militância e tá sempre ficando com alguém, todas meninas (as que conheci) bem bacanas, e vejo ele bem mais confiante. Eu tô com outra pessoa, e essa pessoa respeita o fato de eu com 22 anos n querer sair todo fim de semana e preferir ter apenas um pequeno grupo de amigos. Eu sei como é difícil, mas n é impossível, trabalhe na sua alto estima e n deixa q esses babacas façam sua cabeça, lembre-se sempre q mulheres são gente,. e muitas vezes elas podem estar tão ou mais inseguras q vc, respeite isso. E boa sorte!

        • Paulo Guina

          O que falta também é eu encontrar uma motivação para viver, como por ex: a militância para o seu ex. Acho que me daria uma sensação de utilidade.
          Encontrar os meus semelhantes é um pouco complicado, pois morando na terra da “night” é dificil encontar alguém que prefira algo mais tranquilo. E também só com os semelhantes que teria como a minha confiança aumentar, pois para os demais eu sou apenas uma coisa a ser rejeitada.

  • Gustavo

    Tem pessoal que é a favor do curso e quer defender de maneira profunda, dizendo sobre rejeição e outros conceitos, sobre a posição do homem no mundo e outras coisas. Cara, esse curso é totalmente superficial, não tem nada de profundo: é sair e abordar e pegar mulher e ponto final. Mas qual é o problema que eu vejo nisso tudo? A abordagem. Totalmente repugnante. Os instrutores querem cagar regra do tipo: não interessa o que vc fala, faça SEMPRE três perguntas e blá blá blá,,,Num tem nada de profundo nesse curso, nada de ideal, nada de “ajuda aos oprimidos que foram rejeitados por outras mulheres e agora nos procuram para, enfim, conseguirmos pegar uma mulher”- ilusão total- até porque, com um pouco de bom senso, a vida é algo muito incerto, cheia de contratempos, cheia de coisas que não tem sentido, e a relacão humana entra muito nisso, e ai chega um cara e me diz como abordar uma pessoa e como falar com ela? Ah, vai pra merda. E ainda fala de maneira como: “nem se preocupe com o que ela vai pensar, fale o que vc quer, pressione, não é problema seu se ela se incomodar com sua pressão. E tem gente ainda que vem falar que mulher sai pra balada arrumada, cheirosa, bonita é porque quer dar, pode ser que queira mesmo e daí? Nada disso justifica o comportamento bárbaro e boçal de ficar pressionando e não se importar em nada com a sua conduta. A única coisa que eu vejo sobre uma discussão mais profunda sobre esse curso é: perpetuação de um comportamento que acontece há muito tempo nesse mundo. Comportamento que tem ser, aos poucos, dizimado. E só.

  • Kelven Conrado

    Curti algumas dicas!
    kkkkk

  • Yanne Menezes

    Qualquer homem que ache isso legal ou justificável é um tremendo de um babaca. E esse tipo de coisa perpetua SIM a cultura do estupro! Imagina, a moça não quer nem ser tocada na barriga, mas o homem de qualquer forma tem que insistir e “dedar” ela? E se ela está incomodada, ela que se retire porque isso não é problema dele? NOJO. Também não é problema de nenhuma mulher se um homem dá em cima dela e ela não tem interessa. NÃO significa NÃO.
    E é MENTIRA e é muito retardado homem que pensa que mulher vai pra balada pra “dar”. Eu já fui pra baladas, toda arrumada, de roupa curta e decote, e não queria dar pra ninguém, só queria beber, dançar, curtir a música, curtir a vibe. Não queria nenhum homem ao meu redor tentando me “dedar”. Ridículo.

  • Edson Michael Souza

    Assistam HIT Conselheiro Amoroso e verão a outra face deste trabalho. O instrutor parece sim um predador mas isso não significa que seus alunos devam seguir seus passoa a ponto de se tornarem predadores, mas o farão se assim desejarem.

  • robalo silva

    O problema é que cada mulher tem seu jeito de ser conquistada, tem seus gostos e necessidades, vai mais do cara sacar qual é a da mina ou do broto como diz o meu velho.
    Mas tem uma coisa intrigante, é inevitável abordá-la, visto que se não o fizer poderemos nunca mais vê-la, e um não pode virar um talvez, que depois pode virar um sim, por que as pessoas mudam de opinião!
    Outra coisa, uma pessoa não é feita só de defeitos.
    Ass. Um ogro que conheceu uma princesa, e que depois de um tempo, e uns toques, dado por ela, virou um príncipe, e que agora é rei e muito feliz!

  • Paulo Lugues

    Só que vocês mulheres que querem se fazer de vítimas, que criaram os puas, eles são caras que cansaram que serem tratados como lixo por vocês, e resolverem quebrar o pedestal de vocês e mostrar que vocês não são o que acham que são, eu tive amigos meus que se suicídaram por causa de mulher e isso vocês não falam certo? Eu admito que existem estupradores e aos montes, agora dizer que a comunidade de sedução, ensina os homens
    aesttuprar mulheres tomem vergonha na cara e pensem no que falam.

  • magno andre

    Eu nao aceitaria pagar meia ,sabendo que outros ,pagam inteira ,pois luto por iquadades ! Nao aceitaria pagar meia ,so por ser de um sexo diferente ,sabendo eu que estou sendo usado como Objeto de chamaris Sexual pelos (as) donos(as) das casas de show ! Mais cada um cada ,nao critico ! eu pessoalmente nao me sinto bem sendo usado por Preco $$ nenhum ! E jamais aceitaria bedidas ou algo de um estranho(a) sabendo que objetivo deste e sexual ! nao gosto de me aproveitar das pessoas ! Conheços muitas pessoas que vao sem dinheiro para as baladas e barzinho ,ja contando com a fraquesa sexual de outros! mas cada um cada um ! ( Os puas agradecem !)

  • Joao Clemente de Souza

    Cada dia que passa eu descubro como sou feliz em ser NORMAL.
    Sempre fui timido, mas o tempo me mostrou como me tornar um homem resolvido e confiante. Garanto que não foi usando métodos de coerção e quase-estupros.
    Realmente foi de embrulhar o estômago..

  • Lorene Figueiredo

    Horrível. Fast food do sexo, mulher objeto e bando de homens vazios e solitários.
    Não é mais interessante conhecer gente? Ter amigas de “cama, mesa e banho”, alguém com que estabelecer uma relação ainda que seja só para sexo, mas que tenha sentido e que não seja apenas uso?
    Aff, que pobreza de espírito!

  • Julio

    A fica quieta ae, me da 5 minutinhos com vc, que faço tu ficar gamada aqui e engolir todo esse chororo! sua recalcada sem marido. E pensa que sexo é ruim!?, só pq pegou “nego fraco de cama” Vem comigo nego! que aqui é VIDA ;)

Quem julga o juiz?

Quem julga o juiz?

| por | 21 de setembro de 2016

Uma exame da lista de juízes e desembargadores investigados pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) mostra que, mesmo quando a acusação é de venda de sentença, o caso nem sempre segue para a Justiça criminal e a pena se reduz à aposentadoria

Adeus, Guyraroká

Adeus, Guyraroká 2

| por | 8 de setembro de 2016

Como o STF decidiu que uma terra em demarcação no Mato Grosso do Sul não era dos Kaiowá – e abriu as portas para outras decisões que podem impedir o direito territorial dos índios