A Embaixada da Etiópia no Reino Unido emitiu um comunicado rejeitando as alegações.

A Embaixada da Etiópia no Reino Unido emitiu um comunicado rejeitando as alegações.

9 de novembro de 2011
10:55
Este texto foi publicado há mais de 10 anos.

Em resposta à reportagem do Bureau of Investigative Journalism, parceiro da Pública – que foi realizado conjuntamente com a BBC inglês – a Embaixada da Etiópia no Reino Unido emitiu um comunicado de imprensa rejeitando as alegações.

Leia os principais trechos:

“O momento em que esta investigação é apresentada só ajuda a infligir danos maiores aos que já estão sofrendo com a pior seca de 60 anos em nossa região.

As alegações mais graves no programa, piamente refutadas pelo governo, foram expressas pela Frente de Libertação Nacional de Ogaden (FLNO) e pela Frente de Libertação de Oromo (FLO), designados pelo Parlamento da Etiópia como grupos terroristas. Os dois grupos são filiados à Al Shabab e à Al Qaeda. Nada disso foi mencionado no filme.

A FLNO admitiu ter matado 74 cidadãos etíopes e trabalhadores chineses na instalação de petróleo de Abole em abril de 2007. O porta-voz da FLNO falou  com orgulho sobre o assunto no canal de televisão Al Jazeera. Apesar do produtor da BBC ter garantido que esses fatos seriam incluídos no program, eles não foram.

A vasta maioria da população da região não apóia a FLNO porque eles conhecem bem a política do grupo de destruir a infra-estrutura de desenvolvimento e atacar as comunidades que não os apoiám.

A BBC afirmou diversas vezes durantre o programa de que ele  foi feito “clandestinamente”. Mas dezenas de equipes de filmagem visitam a Etiópia todo mês. O próprio correspondente da BBC, Mike Wooldridge, estava na Etiópia há três semanas para cobrir uma semana da seca na região de Ogaden.

É lamentável que a BBC tenha deixado de considerar o contexto – o extenso leque de direitos de que a maioria da população etíope agora usufrui, como a educação; saúde; água potável; o aumento da produção agrícola – e esquemas de micro-crédito para incentivar pequenas e médias empresas, para mencionar apenas alguns dos direitos implantados.

O governo etíope bravamente refuta a alegação de que existe uma política ou uma prática de execuções extrajudiciais, de prisões arbitrárias e de torturas de rotina executadas por policiais, carcerários e outros oficiais ligados aos serviços de segurança e militar.

A Força de Defesa Nacional Etíope já ganhou os corações e as mentes da população da região de Ogaden, uma vez que garantem sempre em suas acções contra os espólios que não prejudicarão de nenhuma forma a vida pacífica do povo da região.

A polícia etíope e outros serviços de segurança são igualmente bem treinados e disciplinados. Não há nenhuma evidência, além das acusações falsas da ONLF e de algumas ONGs internacionais de reputação duvidosa, de que a tortura e outros tratamentos desumanos são sistematicamente usados para extrair confissões.

A reivindicação de que a ajuda está sendo negada  a partidários da oposição são fortemente negadas, não apenas pelo governo etíope, mas pelo Grupo de Doadores de Assistência (DAG), um consórcio de 26 países doadores e de organizações internacionais como o Banco Mundial, com base em Adis Abeba, depois de ter sido feitas investigações aprofundadas.

A Etiópia tem um sistema judiciário independente que é respeitado em todo o continente africano e fora dele. Os réus são tratados de acordo com a lei e o devido processo legal é observado. As prisões da Etiópia são submetidas a inspecções regulares por organismos independentes”.

Parte 1: Ajuda internacional financia brutalidades na Etiópia 

Parte 2: Reinado de terror no centro de detenção de Maikelawi

Parte 3: Ajuda financeira é usada como arma política no sul da Etiópia

Parte 4: As vozes dos torturados

 

Seja aliada da Pública

Todos precisam conhecer as injustiças que a Pública revela. Ajude nosso jornalismo a pautar o debate público.

Mais recentes

Redes sociais fecham parceria com TSE, mas não deixam claro como irão banir desinformação

26 de maio de 2022 | por

Plataformas prometem divulgar conteúdo oficial sobre as eleições e identificar postagens de políticos, mas há dúvidas se conteúdos falsos sobre processo de votação serão banidos

O presidente Jair Bolsonaro participou no domingo 8/8/2021 de um passeio de moto em Brasília em homenagem ao Dia dos Pais. A manifestação reuniu apoiadores do presidente, que se concentraram em frente ao Palácio do Planalto, na Praça dos Três Poderes.

PSB e PT monitoram extremistas de direita durante eleições

25 de maio de 2022 | por

Grupos de inspiração paramilitar, CACs e neonazistas estão no radar dos partidos que apoiam a candidatura de Lula

Imagem mostra extensão da Serra do Curral, área de preservação de mata nativa em Minas Gerais

Zema coloca prima de chefe de mineradora em órgão que decide mineração na Serra do Curral

23 de maio de 2022 | por

Presidente anterior do Iepha foi exonerado após enviar ofício ao Ministério Público revelando possível ilegalidade no processo de licenciamento do empreendimento da Tamisa