Apoie!

Seja aliada da Pública

Seja aliada

Agência de Jornalismo Investigativo

Quem disse que o horário eleitoral não teve momentos inusitados (e hilários)? Separamos alguns deles.

2 de outubro de 2014

Assistimos a todos os programas dos candidatos a presidente do primeiro turno, para fazer as checagens do projeto Truco. Não foi fácil. Mas nos divertimos com alguns momentos pra lá de curiosos.

Dilma mostrando que presidente sabe cozinhar…

 

1-gif

 

A gingada da presidente no Olodum

 

2-gif

 

O minhocário do Eduardo Jorge…

 

3-gif

 

… e as moscas voando ao redor do candidato

 

4-gif

 

Marina passeando toda arrumada pela floresta

 

5-gif

 

O dia em que Eduardo Jorge fez um pique-nique orgânico…

 

6-gif

 

...com direito a uma bênção ao lado da estátua de Ghandi…

 

7-gif

 

… e uma dica do netinho, que diz o que vai fazer se encontrar um animal maltratado…

 

8-gif

 

… para terminar com o candidato reclamando que tem pouco tempo para falar de suas propostas

 

9-gif

 

Eduardo Jorge ensina a lidar com as drogas em 3 passos

30-gif

A alegria da filha de Aécio na Amazônia…

 

25-gif

 

…e dando uma de maestro

 

24-gif

 

Luciana Genro tomando café da manhã com a família.

 

13-gif

 

O apresentador misterioso do PCO, que aparecia mais do que o candidato

 

14-gif

 

As animações relâmpago de Mauro Iasi, que mostram a mercantilização da vida…

 

15-gif

 

… e a repressão a manifestantes (tudo em 7 segundos ou menos!)

 

16-gif

 

A eloquência gesticulativa de Eymael…

 

21-gif

 

… e seu sempre presente juramento de mão sobre a Constituição.

 

20-gif

 

Eymael e seus eleitores, que levam bebês… ou bonecos?

 

26-gif

 

Já viu as nossas checagens? Entra lá!

[relacionados]

Seja aliada da Pública

Faça parte do nosso novo programa de apoio recorrente e promova jornalismo investigativo de qualidade. Doações a partir de R$ 10,00/mês.

Truco

Este texto foi produzido pelo Truco, o projeto de fact-checking da Agência Pública. Entenda a nossa metodologia de checagem e conheça os selos de classificação adotados em https://apublica.org/truco. Sugestões, críticas e observações sobre esta checagem podem ser enviadas para o e-mail truco@apublica.org e por WhatsApp ou Telegram: (11) 99816-3949. Acompanhe também no Twitter e no Facebook. Desde o dia 30 de julho de 2018, os selos “Distorcido” e “Contraditório” deixaram de ser usados no Truco. Além disso, adotamos um novo selo, “Subestimado”. Saiba mais sobre a mudança.

Comentários de nossos aliados

 Ver comentários

Esta é a área de comentários dos nossos aliados, um espaço de debate para boas discussões sobre as reportagens da Pública. Veja nossa política de comentários.

Carregando…
Você precisa ser um aliado para comentar.
Fechar
Só aliados podem denunciar comentários.
Fechar

Explore também

“Não estamos para confrontar ninguém, mas não podemos nos omitir da nossa missão”, diz presidente do Cimi

10 de maio de 2019 | por

Em entrevista à Pública, dom Roque Paloschi diz não temer os ataques vindos do governo Bolsonaro e ressalta importância da realização do Sínodo da Amazônia em um momento em que a floresta e os povos originários estão mais ameaçados do que nunca

"É uma situação de completo terror"

23 de novembro de 2017 | por

Assentados vivem conflito semelhante ao que matou Dorothy Stang na mesma região de Anapu; leia a entrevista com o agrônomo e antropólogo Roberto Porro, que atua no PDS Virola-Jatobá, invadido na semana passada

Game – A Copa das Remoções

16 de junho de 2013 | por

No final de semana de estreia da Copa das Confederações, a Pública preparou um jogo que mostra quem ganha e quem perde com a Copa. Jogue.

Mais recentes

Manifestações podem definir futuro de Bolsonaro no Congresso

24 de maio de 2019 | por

A Pública conversou com parlamentares sobre a crise entre governo e Congresso; ceticismo predomina, mas o resultado das ruas no dia 26 terá peso decisivo no futuro dessas relações

Dois anos do massacre de Pau D’Arco: mandantes ainda impunes e ameaça de despejo

24 de maio de 2019 | por

Em entrevista à Pública, a advogada Andréia Silvério, da CPT de Marabá, conta que os sobreviventes da chacina que vitimou dez trabalhadores ocupantes da fazenda Santa Lúcia em Pau D’Arco (PA) não receberam nenhum apoio do Estado, e que novos conflitos são iminentes

Influenciadores da direita relatam linchamentos virtuais de bolsonaristas

24 de maio de 2019 | por e

Ataques organizados partem de grupos de WhatsApp: “Vamos dar uma oprimida” é a palavra de ordem para as “hienas”

Login para aliados

Participe e seja aliado.

Fechar