Apoie!

Seja aliada da Pública

Seja aliada

Agência de Jornalismo Investigativo

Os ministros do TSE vão julgar três pontos centrais: cassação; se cabe ou não separar a responsabilização de presidente e vice e inelegibilidade dos dois políticos

5 de junho de 2017
16:45

Em 2015, logo após a reeleição de Dilma Rousseff, a operação Lava Jato ainda estava no começo quando a coligação encabeçada pelo PSDB, o partido derrotado, já havia proposto a primeira ação contra a chapa Dilma-Temer.

De lá para cá foram quatro ações. Em março de 2016, as ações foram reunidas na AIJE 1943-58 e passaram a ter andamento conjunto, ou seja, testemunhas, colhimento de provas, petições etc passaram a ser utilizadas para os quatro processos.

A coligação derrotada alega que a eleição da chapa Dilma-Temer se mostrou viciada pelo abuso de poder econômico, político, fraude, “relevando-se ilegítima”.

Atualmente, o processo com 29 volumes e mais de 8 mil páginas ouviu mais de 50 testemunhas e está focado em 23 acusações, chamadas de “causas de pedir”.

O que mais está em jogo no julgamento de amanhã? Explicamos na animação a seguir. 

O que está em jogo no julgamento da chapa Dilma-Temer from Agência Pública on Vimeo.

Seja aliada da Pública

Faça parte do nosso novo programa de apoio recorrente e promova jornalismo investigativo de qualidade. Doações a partir de R$ 10,00/mês.

Mais recentes

“Não há segurança de que o ouro do seu anel não seja clandestino”, diz procurador do MPF

18 de setembro de 2019 | por e

Luís de Camões Boaventura explicou à Pública o descontrole da cadeia econômica do ouro paraense, que movimenta ilegalmente seis vezes mais recursos que o mercado legal

Exclusivo: as empresas que servem de ‘“barriga de aluguel” dos agrotóxicos

17 de setembro de 2019 | por e

Levantamento inédito revela que 75 empresas transferiram permissões de venda de 326 produtos agrotóxicos; processo é legal mas pode servir para “especulação”

Sínodo da Amazônia revela sagacidade política do papa

16 de setembro de 2019 | por

Essa é a explicação que se ouve dentro dos muros do Vaticano sobre a convocação da reunião no próximo outubro em Roma, que vem fazendo barulho entre os cardeais