Adicione nosso novo número para receber conteúdos gratuitos diariamente

Adicione nosso novo número para receber conteúdos gratuitos diariamente

4 de novembro de 2020
14:33

Com mais de 120 milhões de usuários ativos mensalmente, o WhatsApp é fonte de informação para a maior parte dos brasileiros: 79% disseram receber notícias sempre pela rede social, segundo uma pesquisa realizada pela Câmara dos Deputados e pelo Senado.

Para levar o jornalismo confiável e corajoso a todos os leitores, a Agência Pública envia pelo WhatsApp resumos diários das nossas mais recentes reportagens sobre o governo Jair Bolsonaro, o impacto dos agrotóxicos no meio ambiente e violações de direitos humanos. 

Como fazer parte da nossa lista:  

  • Adicione o nosso novo número: (11) 98886-8465. Esta etapa é essencial, pois o aplicativo exige que o usuário tenha o número registrado nos contatos para receber as mensagens da lista de transmissão. 
  • Clique neste link para enviar uma mensagem e solicitar entrada. 
  • Aguarde e em breve os resumos chegarão em seu celular! 

As mensagens também são enviadas pelo Telegram –  basta entrar nesta lista.

Seja aliada da Pública

Todos precisam conhecer as injustiças que a Pública revela. Ajude nosso jornalismo a pautar o debate público.

Mais recentes

Proposta de Bolsonaro

Proposta de Bolsonaro “cria ambiente para faroeste digital”, diz presidente da SaferNet

23 de setembro de 2021 | por

Em entrevista, Thiago Tavares diz que Projeto de Lei enviado pelo presidente mira eleições de 2022 e pode ser usado para anular inquéritos no STF

A escola é para todes; desenho feito por criança trans de 7 anos representando dois adultos e duas crianças, escrito

A escola é para todes

22 de setembro de 2021 | por

1.700 estudantes trans já adotam o nome social no ensino básico, mas preconceito e agressões, dentro e fora de sala de aula, dificultam quebra do ciclo de exclusão

Mulheres protestando contra o Estatuto do Nascituro

Juíza nega aborto legal para menina vítima de estupro e teria exposto sentença no WhatsApp

21 de setembro de 2021 | por

Após sofrer perseguição de assistentes sociais e ter o aborto negado na Justiça, adolescente vítima de estupro precisou recorrer ao MP para acessar direito