Metodologia das reportagens do especial Amazônia Irrespirável

Metodologia das reportagens do especial Amazônia Irrespirável

27 de janeiro de 2021
15:47
Receba nossa cobertura sobre a Amazônia no seu email. Assine a newsletter e fique informado sobre o que eles querem esconder.

Metodologia da reportagem “Com coronavírus, período de queimadas na Amazônia tem 28 mil hospitalizações por problemas respiratórios”

1) Exportação das bases de dados:

  • Queimadas: a partir de dados do satélite de referência (AQUA-MT) disponibilizados pelo Inpe, fizemos a exportação dos dados espaciais de focos de queimadas na Amazônia Legal em todo o ano de 2020. O mesmo processo foi realizado para os anos de 2018 e 2019. 
  • Notificações de SRAG: a partir da base disponibilizada no dia 6 de janeiro de 2021, no portal OpenDataSUS, foram analisados casos com notificação em 2020 e residência em estados que fazem parte da Amazônia. A partir dos 117683 registros obtidos, foram aplicados filtros nas variáveis raça, município de residência, hospitalização, classificação final e evolução, conforme a descrição do dicionário de dados. O mesmo processo foi repetido para o ano de 2019. 
  • Produção Ambulatorial do SUS por local de residência: exportamos, do portal do DataSUS (TABNET), a base de dados com a quantidade aprovada do procedimento “0301100101 inalação/nebulização” nos municípios da Amazônia Legal durante o período de janeiro a outubro de 2020. O mesmo processo foi repetido para os anos de 2018 e 2019. 

2) Cruzamento de dados: a partir das bases limpas, fizemos o cruzamento dos dados e agrupamento por município, macrorregião de saúde ou UF. O resultado pode ser conferido aqui.

Metodologia da reportagem “Acre: não era só tosse das queimadas, era Covid-19”

  1. Download: No site do PurpleAir, exportamos no dia 4 de janeiro os dados dos 19 sensores disponíveis no território do Acre.  As especificações utilizadas para a exportação foram: Camada: RAW PM2.5 em micrograma/m³; conversão: LRAPA; padrão de periodicidade da medição: média diária. Os dados coletados se referem aos municípios de Abril Assis, Acrelândia, Brasileia, Bujari, Capixaba, Cruzeiro do Sul, Epitaciolândia, Feijó, Mâncio Lima, Manoel Urbano, Marechal Traumaturgo, Plácido Castro, Porto Acre, Rio Branco, Rodrigues Alves, Santa Rosa do Purus, Sena Madureira, Senador Guiomard e Tarauacá. Foi analisado o ano de 2020.
  2. Limpeza dos dados: a partir das bases exportadas, unimos as planilhas geradas. Para o cálculo da média diária de PM 2.5 em micrograma/m³, foram considerados os dados dos canais A e B de cada sensor. O resultado pode ser conferido aqui.

Seja aliada da Pública

Ajude a Pública a investigar os poderosos. Sua doação permite que a gente revele os abusos que outros preferem esconder.

Mais recentes

À espera de Mourão

30 de abril de 2021 | por

Generais críticos a Bolsonaro articulam uma “terceira via” para as eleições de 2022 e não descartam impeachment

Fornecedor de madeireira investigada pela PF conta como se aproximou de Salles para “pedir ajuda”

29 de abril de 2021 | por

A Pública conversou com fontes envolvidas na apreensão de madeira ilegal na Amazônia e revela os bastidores do lobby que provocou a notícia-crime do delegado da PF contra o ministro do Meio Ambiente

Drauzio Varella: “Médicos não têm direito de receitar remédios sem eficácia”

28 de abril de 2021 | por

Em entrevista exclusiva à Pública, ele critica os colegas que prescrevem tratamentos ineficazes contra a Covid, diz que Bolsonaro é o principal responsável pela disseminação do vírus e pede aos brasileiros que resistam, mantendo isolamento e usando máscara: "vai passar"