Agência de Jornalismo Investigativo

Jornalista dedicada à cobertura da violência e do tráfico de drogas e finalista do Prêmio Repórteres Sem Fronteiras para a Imprensa de 2020 será nossa nova conselheira

10 de agosto de 2021
10:30

A jornalista Cecília Olliveira é a mais nova integrante do Conselho Consultivo da Agência Pública, um grupo de dez profissionais reconhecidos do jornalismo e do terceiro setor. Esse grupo se reúne duas vezes por ano para discutir o trabalho que vem sendo feito e aconselhar a direção da Pública.

Cecília Olliveira é jornalista investigativa dedicada à cobertura da violência e do tráfico de drogas e de armas. Em 2016 criou a plataforma Fogo Cruzado para mapear os tiroteios no Rio de Janeiro. Hoje o Fogo Cruzado é um instituto que, por meio de dados abertos, quer ajudar na redução da violência armada. Cecília que também é fellow da Shuttleworth Foundation, atualmente escreve para o El País e tem um programa no Canal My News. Além disso, foi a única finalista latino-americana do Prêmio Repórteres Sem Fronteiras para a Imprensa de 2020, que celebra vozes intrépidas e corajosas na mídia global. 

Cecília Olliveira é a mais nova integrante do Conselho Consultivo da Agência Pública

Com sua trajetória sólida e inovadora no jornalismo investigativo, Cecília dará importantes contribuições para a Pública. “Em momento de ataques diários à imprensa e consequentemente à democracia, é ainda mais importante fortalecer as bases da imprensa. A Agência Pública tem o DNA do jornalismo ao qual me dediquei: investigação. Poder agora colaborar com a Agência através do Conselho renova minhas esperanças no jornalismo de impacto, aquele dá nome aos bois sem melindres e força mudanças. Não podemos esquecer que uma das funções primárias do jornalismo é fiscalizar o poder e os poderosos. Estar junto da primeira e única agência de jornalismo investigativo do Brasil é uma honra”, diz.

A Pública celebra a chegada de Cecília ao Conselho Consultivo, composto por jornalistas e profissionais do terceiro setor que admiramos e que com suas diferentes visões, ajudam a fortalecer nosso trabalho. Fazem parte de nosso conselho consultivo: Ana Toni, Dorrit Harazim, Eliane Brum, Eugênio Bucci, Jan Rocha, Ricardo Kotscho e Rosental Alves.

Seja aliada da Pública

Todos precisam conhecer as injustiças que a Pública revela. Ajude nosso jornalismo a pautar o debate público.

Mais recentes

De modelo internacional à extinção: como morre uma política pública

19 de janeiro de 2022 | por , e

Programa de diversificação do cultivo de tabaco que beneficia agricultores do setor foi alterado no governo Bolsonaro. Detalhe: o programa era referência internacional

2022 e eleições: Lula vs Bolsonaro: desinformação e risco de golpe segundo pesquisadores

19 de janeiro de 2022 | por

A Pública entrevistou Pablo Ortellado e Carolina Botelho sobre o que pode decidir o voto, quais as semelhanças com as eleições de 2018 e os desafios para o próximo governo

Intoxicação crônica ao plantar tabaco foi “sua exclusiva culpa”

18 de janeiro de 2022 | por , e

Agricultor seguiu as regras de plantio impostas pela indústria do cigarro e adoeceu — mas o trauma neurológico que o incapacitou para sempre é problema dele, diz fumageira