AGÊNCIA DE REPORTAGEM E JORNALISMO INVESTIGATIVO

Truco popular!

Agora quem dá as cartas é você! Participe do Truco Popular e leia as nossas checagens abaixo.

Cada dia vamos escolher um candidato para você trucar. As perguntas serão postadas no nosso Facebook e têm que ser correspondentes a uma declaração do candidato, incluindo um link. A pergunta que receber mais “likes” será enviada para o candidato, que terá uma semana para responder.

Já trucamos cinco candidatos e vamos trucar mais cinco esta semana.

Vai lá e participe!

Eymael vai responder sobre o projeto de criar um Ministério da Família.

Os internautas perguntaram para Eduardo Jorge (PV) sobre isenção fiscal de igrejas e corte de gastos públicos.

Nosso público questionou Levy Fidelix (PRTB) sobre a ditadura militar.

A pergunta do Truco Popular para Luciano Genro (PSOL) foi sobre manipulação de informações.

O questionamento para Mauro Iasi (PCB) foi sobre os partidos de esquerda.

“Se ele [o consumidor brasileiro] entrar em qualquer lugar para comprar um carro aquele carro ele vai pagar 3 vezes mais este carro”Levy Fidelix

Um estudo da Anfavea (Associação Nacional de Fabricantes de Veículos) realizado em junho de 2014 sobre a carga tributária mostrou que “28,1% do preço de um automóvel flex com motorização entre 1000cc e 2000cc são de impostos”. |LEIA MAIS|

O estudo da indústria automotiva ressalva que esse percentual representa “a participação dos impostos no preço final do consumidor”, o que seria um critério diferente daquele utilizado em outros países, “que indicam qual é a carga tributária adicionada preço do veículo sem impostos”.

Se utilizado esse critério, a carga tributária subiria para 54,2%, somando os “impostos escondidos” (pagos em outras etapas da produção)

De acordo com a Anfavea, portanto, o consumidor pagaria menos de um terço (28,1%) ou no máximo pouco mais da metade (54,7%) de impostos pelo carro, bem longe dos “3 vezes mais” apregoado pelo candidato.

“Mais de 900 mil unidades do “Minha Casa, Minha Vida” estão sendo adaptadas para atender as necessidades de pessoas com deficiência [adaptação de 916.763 casas]” – campanha de Dilma Rousseff

Na realidade, o governo federal não está adaptando “mais de 900 mil” casas para pessoas com deficiência. |LEIA MAIS|

Esse número se refere a casas adaptáveis, ou seja, moradias que podem receber kits de adaptação de acordo com a deficiência (auditiva, física, intelectual e nanismo) dos moradores.

O balanço da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República contabiliza a entrega de 11.406 moradias já adaptadas até o final de julho deste ano. Isso equivale a 1,2% das 925.333 moradias adaptáveis contratadas pelo “Minha Casa, Minha Vida” até essa data, e apenas 0,32% do total de moradias contratadas e entregues pelo programa até hoje, segundo dados do Ministério das Cidades.

A previsão da Secretaria de Direitos Humanos é de entregar 20 mil moradias, até o final deste ano, já adaptadas a pessoas com deficiência. Para obter uma moradia já adaptada, é preciso ter o registro no Cadastro Único do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Quem decide quem é beneficiado ou não são as prefeituras, governos estaduais ou do Distrito Federal e ONGs habilitadas pelo Ministério das Cidades.

“[Proposta] Estender para todo o Brasil o programa Pacto pela Vida que reduziu pela metade a violência em Pernambuco” – Marina Silva

Segundo dados do próprio Governo de Pernambuco, o programa citado reduziu os crimes violentos entre 2007 e 2013 em 39,1%, e não em 50% como afirma a candidata. |LEIA MAIS|

Os dados de redução de violência divulgados se referem a taxa de homicídios para cada 100 mil habitantes entre o ano de implantação do programa (2007) e o ano passado, estatística mais recente. Leia mais aqui.

“Com Dilma, o metrô de Salvador finalmente entrou em circulação e já está sendo ampliado” – Campanha de Dilma Rousseff

Após 14 anos de obras e uma verdadeira novela que envolveu acusações de superfaturamento de R$ 400 milhões, em valores corrigidos até 2013, do Tribunal de Contas da União (TCU) e investigações do Ministério Público Federal (MPF) que questionaram a regularidade da licitação, o metrô de Salvador foi inaugurado em 11 de junho deste ano. |LEIA MAIS|
No entanto, o sistema de transporte da capital baiana está em fase de testes e ainda não entrou em operação comercial. A data de início da operação comercial, prevista para o último dia 15, foi adiada para o próximo mês de outubro. A justificativa da Sedur (Secretaria de Desenvolvimento Urbano), órgão do governo estadual da Bahia responsável pela obra, é que não houve integração do metrô com o Sistema de Transporte Coletivo por Ônibus (STCO).
Além disso, o que já foi inaugurado é apenas um trecho da Linha 1 do metrô soteropolitano. Este trecho tem 7,3 km de extensão e compreende apenas cinco estações (Lapa, Campo da Pólvora, Brotas, Acesso Norte e Retiro). O restante da Linha 1 deve ser inaugurado em janeiro de 2015 e a Linha 2 (que irá até o Aeroporto Internacional de Salvador), em 2017. O investimento está estimado em R$ 3,6 bilhões de reais.

não é bem assim - aecio

“Este governo atual não deu um centavo de aumento para os aposentados” – João Inocentini, presidente licenciado do Sindicato Nacional dos Aposentados, Pensionistas e Idosos da Força Sindical, na campanha de Aécio Neves

Ao contrário do que disse o sindicalista, a maior parte dos aposentados pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) recebeu reajustes acima da inflação durante o governo de Dilma Rousseff.|LEIA MAIS|

O governo federal estabelece todos os anos um reajuste fixo para as pensões do INSS. Foram 6,08% em 20126,20% em 2013 e 5,56% em 2014. Nas três ocasiões, o porcentual seguiu o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), o que significa que não houve aumento acima da inflação. Esses reajustes foram aplicados para todos os aposentados que ganham acima do piso da previdência, que é de um salário mínimo. Mas apenas 10 milhões de pensionistas, ou 28,4% do total, estavam nessa situação em 2013, de acordo com levantamento da Associação Nacional dos Servidores da Previdência e da Seguridade Social (Anasps). A frase do sindicalista estaria correta apenas para esse grupo.

A maioria dos aposentados pelo INSS recebe apenas o piso, que não pode ser inferior a um salário mínimo. Segundo a Anasps, são 21,5 milhões de pessoas, ou 71,6% do total. Para esse grupo, os reajustes foram superiores à inflação, porque o salário mínimo recebeu correções mais altas do que as distribuídas para as demais pensões: 14,1% em 2012, 9% em 2013 e 6,8% em 2014.

Resumo do Programa

O candidato do PV, Eduardo Jorge, foi a uma lavoura orgânica de morangos e falou da importância de resgatar “a agricultura familiar orgânica”.

No programa do PSOL, a candidata Luciana Genro disse que seu partido defende todas as minorias contra a discriminação e o preconceito.

O Pastor Everaldo, do PSC, reprisou o programa.

Marina Silva, do PSB, criticou como exemplo da “velha política” o governo que “distribui cargos e ministérios para ganhar mais tempo na propaganda eleitoral”.

O candidato Mauro Iasi, do PCB, defendeu a descriminalização das drogas e a criação de políticas públicas dignar para tratar drogaditos.

O programa do PSTU, do candidato Zé Maria, homenageou o sindicalista Dirceu Travesso, fundador do partido, falecido recentemente.

Aécio Neves, do PSDB, mostrou o candidato reunido com representantes sindicais discutindo principalmente aposentadoria.

O programa de Eymael, do PSDC, reprisou.

O candidato do PCO, Rui Costa, trouxe uma denúncia: a candidata do partido em Minas Gerais foi agredida por um homem em suposta retaliação por denúncias de violência policial.

O programa do PT da candidata Dilma Rousseff teve como foco o programa “Viver sem Limite”, voltado para pessoas com deficiência com recorte para ações desse programa na Bahia.

Levy Fidelix, do PRTB, criticou os impostos embutidos nos produtos pagos pelos consumidores – de pizzas a carros.

Principais promessas

Eduardo Jorge (PV) – criar cinturões de produtos orgânicos perto de grandes centros urbanos.

Marina Silva (PSB) – estender para todo o Brasil o programa Pacto pela Vida; implantar coleta seletiva e acabar com os lixões.

Aécio Neves (PSDB) – incluir despesas típicas dos aposentados, como aumento dos medicamentos, no calculo do reajuste das aposentadorias; fazer a revisão do fator previdenciário; corrigir a tabela do IR pela inflação; e construir 6 mil creches em todo o país.

Dilma Rousseff (PT) criar 77 novos centros especializados em reabilitação para pessoas com deficiência.

Veja a checagem dos programas eleitorais do 1º turno

Veja a checagem dos programas eleitorais do 2º turno

Comentários

Opte por Disqus ou Facebook

  • RenÁtomo PataQuá

    “políticas
    públicas dignar para tratar drogaditos”, foi essa mesma a expressão de
    Mauro Iasi ou foi uma redação informal que escapou da redação da
    Pública?