Agência de Jornalismo Investigativo

Documento da Embaixada de Assunção mostra que o Ministério da Defesa pagou treinamento para tropas paraguaias integrarem missão da ONU no Haiti

4 de julho de 2011
17:00
Este texto foi publicado há mais de 10 anos.

Pouco mais de dois anos após assumir o comando da Missão das Nações Unidas para Estabilização do Haiti (Minustah), em junho de 2004, o Brasil enviou dinheiro ao Paraguai para que o pais vizinho integrasse as forças de paz na ilha caribenha. A informação consta de um telegrama da Embaixada dos Estados Unidos em Assunção vazado pelo WikiLeaks – e que a Agência Pública divulga com exclusividade.

O documento atesta que, em julho de 2006, o governo brasileiro havia confirmado a destinação de 1,7 milhão de dólares para o Exército paraguaio. “Os fundos serão utilizados para reparar 40 veículos blindados e prover equipamentos, uniformes e treinamento para um pelotão de capacetes-azuis que irão integrar o contingente brasileiro”, escreveram os diplomatas estadunidenses.

Um oficial do Exército paraguaio, cujo nome foi mantido em sigilo, revelou à Embaixada que o grupamento a ser enviado ao Haiti consistiria em cinco oficiais e 25 praças. A informação viria a provar-se precisa cinco meses depois, quando, em dezembro de 2006, Brasil e Paraguai assinaram um memorando de entendimento para a incorporação de “um pelotão de fuzileiros formado por trinta militares paraguaios, constituído por tenentes (no máximo cinco), sargentos e cabos/soldados, para cumprir as tarefas que lhe forem designadas como integrante do Batalhão Brasileiro na Minustah”.

Em conversa com diplomatas estadunidenses, o militar também confidenciou que o Brasil queria treinar os soldados paraguaios numa escola especializada na formação de tropas de paz, localizada em Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Porém, acabou concordando em permitir que a preparação acontecesse no país vizinho, sob a orientação de uma equipe brasileira que desembarcaria no Paraguai em duas semanas.

“O oficial disse ao DAO que os brasileiros decidiram apoiar as tropas paraguaias porque políticos do país subiram o tom de suas reclamações sobre o Mercosul e a Usina de Itaipu”, afirma o telegrama, que continua com o comentário dos funcionários da Embaixada: “Sempre que o Paraguai se queixa ou ameaça quebrar acordos envolvendo o Mercosul e Itaipu, o Brasil oferece financiamento a alguns programas para fazer os paraguaios felizes.”

Após duas semanas de insistência, por volta das 19 horas de hoje, dia 4 de julho, o Ministério da Defesa finalmente respondeu à reportagem da Pública.
Por meio de sua assessoria de imprensa, o Ministério reconheceu a autenticidade do memorando de entendimento assinado entre Brasil e Paraguai publicado na matéria – e que oficializa a participação de tropas paraguaias na missão de paz da ONU comandada pelas forças armadas brasileiras no Haiti.

Porém, os militares negaram que o governo do país tenha repassado ao vizinho o valor de 1,7 milhão de dólares em 2006 para financiar o treinamento de capacetes-azuis paraguaios.

Segundo a assessoria de imprensa da Defesa, o Brasil destina, sim, desde 2007, dinheiro ao Paraguai em troca de sua participação na Minustah. Porém, o repasse de verbas se dá via Ministério de Relações Exteriores. E o valor é de 120 mil reais por ano.

O documento é parte de 2.500 relatórios diplomáticos referentes ao Brasil ainda inéditos que foram analisados por 15 jornalistas independentes e estão sendo publicados nesta semana pela agência Pública. LEIA MAIS

Seja aliada da Pública

Todos precisam conhecer as injustiças que a Pública revela. Ajude nosso jornalismo a pautar o debate público.

Mais recentes

Redes sociais fecham parceria com TSE, mas não deixam claro como irão banir desinformação

26 de maio de 2022 | por

Plataformas prometem divulgar conteúdo oficial sobre as eleições e identificar postagens de políticos, mas há dúvidas se conteúdos falsos sobre processo de votação serão banidos

O presidente Jair Bolsonaro participou no domingo 8/8/2021 de um passeio de moto em Brasília em homenagem ao Dia dos Pais. A manifestação reuniu apoiadores do presidente, que se concentraram em frente ao Palácio do Planalto, na Praça dos Três Poderes.

PSB e PT monitoram extremistas de direita durante eleições

25 de maio de 2022 | por

Grupos de inspiração paramilitar, CACs e neonazistas estão no radar dos partidos que apoiam a candidatura de Lula

Imagem mostra extensão da Serra do Curral, área de preservação de mata nativa em Minas Gerais

Zema coloca prima de chefe de mineradora em órgão que decide mineração na Serra do Curral

23 de maio de 2022 | por

Presidente anterior do Iepha foi exonerado após enviar ofício ao Ministério Público revelando possível ilegalidade no processo de licenciamento do empreendimento da Tamisa