Agência de Jornalismo Investigativo

Baixe gratuitamente o e-book, que reúne série finalista do Prêmio Gabriel García Márquez em 2013

29 de outubro de 2014
10:57
Este texto foi publicado há mais de 8 anos.

Na manhã do dia 15 de junho de 2012, um helicóptero Robinson da Polícia Nacional paraguaia sobrevoou um terreno de 2 mil hectares no município de Curuguaty, próximo à fronteira com o Mato Grosso do Sul. Lá embaixo cerca de 70 camponeses – incluindo mulheres e crianças – ocupavam a terra no auge de uma disputa com o poderoso Blas N. Riquelme, ex-presidente do conservador Partido Colorado. O sobrevôo do helicóptero foi apenas o primeiro sinal: logo depois, centenas de policiais das forças de elite, da polícia montada e de grupos antimotins entraram no terreno para exigir a saída dos sem-terra. Seguiu-se um intenso tiroteiro e em poucos minutos 17 pessoas – 6 policiais e 11 camponeses – foram assassinadas num dos episódios mais brutais da história recente do Paraguai. No palácio presidencial em Assunção, Fernando Lugo imediatamente reuniu ministros e os comandantes do Exército, da Armada e da Aeronáutica. Seu chefe de gabinete, Lopez Perito, resumiu a urgência da situação: “Presidente, esse é o início do impeachment”. Uma semana depois Fernando Lugo, primeiro presidente de esquerda a chegar ao poder em um dos países mais pobres da América do Sul, foi deposto num impeachment que durou menos de 24 horas, por esmagadora maioria de 39 votos a 4 no Senado. “Eu sabia que iria terminar assim”, diria Lugo à Agência Pública, dois meses depois. “O poder, mesmo, nunca foi meu”.

CapaO livro “O Bispo e Seus Tubarões” reconta essa tragédia que mudou o destino político do país vizinho, episódio a episódio. Escrito pela jornalista Natalia Viana, uma das diretoras da Pública, a série foi finalista do Prêmio Gabriel García Márquez, da Fundación Nuevo Periodismo Iberoamericano, no ano passado.

Atualizado, o e-book recebeu uma introdução do premiado jornalista Mauri König, que investigou Horácio Cartes, atual presidente do Paraguai. Cartes foi o maior articulador da derrubada de Lugo dentro do Partido Colorado. “O vice que tramou pelas costas assumiu seu curto mandato em 22 de junho de 2012 e, muito pronto, o Paraguai se viu com um novo presidente, eleito em abril de 2013 e empossado em agosto do mesmo ano. Decerto os paraguaios supunham ter feito bom negócio. Afinal, Horacio Cartes apresenta-se como homem bem sucedido à frente de suas empresas e do clube de futebol Libertad, 3º colocado da Libertadores em 2006. Mas vejamos com que tinta se escreveu a história daquele que viria a ocupar o lugar de Lugo no Palácio de los López”, escreve Mauri König. “Ele é o homem por trás do contrabando do cigarro, um negócio que desbanca o narcotráfico em algumas fronteiras sul-americanas e começa a redesenhar a geopolítica do crime organizado. (…) Cartes é o maior beneficiado pelo contrabando. Responde por 30% de toda a produção paraguaia. Os paraguaios fumam só 2%. O resto assegura ao país o papel de maior provedor latino-americano de cigarro pirata. Cinco das 11 marcas produzidas por Cartes responderam por 79 milhões de maços apreendidos no Brasil entre 2010 e 2013, metade de todo o cigarro ilegal confiscado no país”.

Como os demais e-books da Pública, “O Bispo e Seus Tubarões” pode ser baixado gratuitamente em diversos formatos:

PDF

EPUB – Compatível com a maioria dos e-readers, incluindo o Kobo, da Livraria Cultura, e os aplicativos iBooks (iPad, iPhone e Mac), da Apple, e Google Play Livros (Android).

MOBI – Compatível com Kindle, da Amazon (e-readers e aplicativo)

Precisamos te contar uma coisa: Investigar uma reportagem como essa dá muito trabalho e custa caro. Temos que contratar repórteres, editores, fotógrafos, ilustradores, profissionais de redes sociais, advogados… e muitas vezes nossa equipe passa meses mergulhada em uma mesma história para documentar crimes ou abusos de poder e te informar sobre eles. 

Agora, pense bem: quanto vale saber as coisas que a Pública revela? Alguma reportagem nossa já te revoltou? É fundamental que a gente continue denunciando o que está errado em nosso país? 

Assim como você, milhares de leitores da Pública acreditam no valor do nosso trabalho e, por isso, doam mensalmente para fortalecer nossas investigações.

Apoie a Pública hoje e dê a sua contribuição para o jornalismo valente e independente que fazemos todos os dias!

Mais recentes

Doadores bancaram R$ 8 milhões para eleição de políticos da tropa de choque bolsonarista

7 de dezembro de 2022 | por

Mapeamos os principais doadores de 30 dos deputados federais do PL mais alinhados com o bolsonarismo

“PL do Lobby” aprovado na Câmara prejudica fiscalização de esquemas como as rachadinhas

5 de dezembro de 2022 | por

Proposta derruba resolução que permite o monitoramento das contas de pessoas próximas a políticos, ministros e juízes

Questões da Transição: Por dentro da guerra entre Trump e seus generais

1 de dezembro de 2022 | por , e

Como o general Mark Milley e outros lidaram com a ameaça à segurança nacional representada por Trump após a derrota