A Pública disponibiliza hoje todos os documentos oficiais usados para a pequisa sobre a presença da Odebrecht em Angola

A Pública disponibiliza hoje todos os documentos oficiais usados para a pequisa sobre a presença da Odebrecht em Angola

13 de maio de 2016
09:00
Este texto foi publicado há mais de 6 anos.

A partir de hoje pesquisadores e jornalistas poderão baixar e consultar centenas de documentos oficiais obtidos pela Pública durante a investigação sobre a presença da Odebrecht em Angola.

A reportagem obteve todos os despachos das embaixadas brasileiras em Luanda e Pretória que citam o BNDES entre 2005 e 2014. Todos os arquivos, em PDF e separados por ano, podem ser baixados neste link: DESPACHOS DAS EMBAIXADAS BRASILEIRAS.

Embora sejam documentos públicos, os despachos diplomáticos do Itamaraty não são disponibilizados  em nenhum site oficial.

Também estão disponíveis todos os Diários da República – publicação equivalente ao Diário Oficial da União no Brasil – que mencionam contratos e obras realizadas pelas empresas Odebrecht  Angola e OSEL Angola. Embora o governo angolano publique esses registros, eles só podem ser obtidos em papel, em Luanda. O comunicador angolano Araclines Damião compilou e escaneou todos os diários para a Pública, de modo a permitir acesso a esta rica documentação. Nosso agradecimento por esse grande esforço.

Os Diários da República podem ser baixados neste link:  DIÁRIOS DA REPÚBLICA DE ANGOLA

 

 

Seja aliada da Pública

Todos precisam conhecer as injustiças que a Pública revela. Ajude nosso jornalismo a pautar o debate público.

Mais recentes

Em discurso, à tribuna no Senado, senadora Simone Tebet.

Fazendeira e ruralista, Simone Tebet perde aliados no MS ao se afastar do bolsonarismo

5 de julho de 2022 | por

Proprietária em região de conflito com os Guarani-Kaiowá, senadora já defendeu indenizações em dinheiro para fazendas em áreas indígenas e suspensão de demarcações

Mais cinco já admitiram ocultação de bens e corpos de Bruno e Dom, diz PF

5 de julho de 2022 | por e

Delegado que coordena os trabalhos da Polícia Federal diz que “trabalha com hipótese” de mandante, mas que hoje não tem elementos para indiciar ou fazer buscas contra alguém

Novo estudo expõe contradições do pensamento militar sobre a defesa da Amazônia

4 de julho de 2022 | por

Ana Penido, uma das autoras, questiona conceitos centrais da perspectiva militar sobre a Amazônia, como defesa das fronteiras, geopolítica e soberania