Apoie!

Seja aliada da Pública

Seja aliada

Agência de Jornalismo Investigativo

Com 177 inscrições de 42 países, a convocação segue para a sua segunda fase

17 de maio de 2016
16:53

Há um mês encaramos o desafio de convidar jornalistas estrangeiros para participar do primeiro Programa de Residências da Pública. Abrimos a convocação para repórteres interessados em investigar pautas de direitos humanos relacionados à Olimpíada deste ano.

Recebemos 177 inscrições, vindas de 42 países, com todos os cinco continentes representados. São 30 jornalistas argentinos, 20 colombianos, 19 espanhóis e 13 mexicanos, para citar os países de onde mais recebemos propostas.

A convocação era voltada a repórteres do mundo todo, desde que falassem português, inglês ou espanhol. Exigimos que se inscrevessem em parceria com um veículo independente, responsável por sua segurança no Brasil e pela publicação da reportagem feita durante o programa.

Leia também: Agência Pública abre vagas para repórteres estrangeiros cobrirem Jogos Olímpicos

Agora começa a segunda etapa da seleção: vamos chamar oito finalistas para uma entrevista por Skype para, então, selecionar nossos residentes. Serão quatro repórteres, que vão ganhar uma bolsa de 7 mil reais e estadia de um mês na Casa Pública, no Rio de Janeiro, durante os Jogos Olímpicos. O resultado será divulgado na segunda-feira, 23 de maio.

Boa sorte aos repórteres inscritos!

[huge_it_gallery id=”24″]

 

[relacionados]

Seja aliada da Pública

Faça parte do nosso novo programa de apoio recorrente e promova jornalismo investigativo de qualidade. Doações a partir de R$ 10,00/mês.

Mais recentes

MPF cita “omissão” do Incra por insegurança no assentamento idealizado por Dorothy Stang

20 de setembro de 2019 | por e

Áudio obtido pela Pública traz pedido de ajuda de morador: "Tá uma bagunça, manda o Ibama pelo amor de Deus"; Incra contradiz MPF e diz manter seguranças no assentamento, no Pará

“A indústria teme os millennials”, diz diretor de organização que chamou Greve pelo Clima

20 de setembro de 2019 | por

Diretor de campanhas da 350.org explica o que os organizadores esperam dos protestos que começam hoje e denuncia cerceamento da sociedade civil nos leilões do Pré-Sal

“Não há segurança de que o ouro do seu anel não seja clandestino”, diz procurador do MPF

18 de setembro de 2019 | por e

Luís de Camões Boaventura explicou à Pública o descontrole da cadeia econômica do ouro paraense, que movimenta ilegalmente seis vezes mais recursos que o mercado legal