Agência de Jornalismo Investigativo

Manoela Bonaldo

É jornalista freelancer especializada na cobertura de violação de direitos humanos e impactos ambientais em grandes cadeias produtivas. Em 2018 foi vencedora do Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão, oferecido pelo Instituto Vladimir Herzog, por uma reportagem sobre exploração sexual infantil em Florianópolis. Desde 2020 é fellow do The Carter Center, em parceria com a Fundación Gabo, após receber a Rosalynn Carter Fellowship for Mental Health Journalism. Também participou do Globolab Profissão Repórter, após uma videorreportagem sobre adoecimento mental e uso de agrotóxicos no cultivo de tabaco. Foi trainee do Jornal O Estado de São Paulo em 2021 e uma das vencedoras do 21º Prêmio Estadão de Jornalismo na categoria Especial. Formou-se em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2020.

Mais recentes

De modelo internacional à extinção: como morre uma política pública

19 de janeiro de 2022 | por , e

Programa de diversificação do cultivo de tabaco que beneficia agricultores do setor foi alterado no governo Bolsonaro. Detalhe: o programa era referência internacional

Intoxicação crônica ao plantar tabaco foi “sua exclusiva culpa”

18 de janeiro de 2022 | por , e

Agricultor seguiu as regras de plantio impostas pela indústria do cigarro e adoeceu — mas o trauma neurológico que o incapacitou para sempre é problema dele, diz fumageira

Depressão, ansiedade e suicídios: a realidade dos que plantam tabaco no Brasil

Depressão, ansiedade e suicídios: a realidade dos que plantam tabaco no Brasil

17 de janeiro de 2022 | por , e

Exposição a agrotóxicos traz sofrimento mental e esgotamento de famílias agricultoras que garantem ao país a liderança mundial no mercado de exportação de fumo