Buscar
Agência de jornalismo investigativo

Mais recentes

Palmeiras estendem-se até o horizonte em Bajo Aguán. Honduras

Terras banhadas em sangue

Por

Braço do Banco Mundial concedeu empréstimos a empresa envolvida em uma guerra mortal por terras em Honduras

No Pará, indígenas lutam contra Vale

Por

Submetidos a trabalho escravo na ditadura, os Parkatêjê venceram luta por autonomia e agora travam batalha com contra duplicação de ferrovia da mineradora

Essa é Maria Raimunda, líder do MST no Pará, ameaçada de morte

Por

Sem medo de assumir a frente do Movimento dos Sem Terra em um Estado que eles são mortos pelos fazendeiros, Maria Raimunda segue em frente

Presa e ameaçada de morte, testemunha ainda teme pela vida

Por

A agricultura Késia, de 32 anos, testemunhou em defesa de uma liderança, injustamente acusada de um crime, já foi presa e ameaçada de morte

“Tu sabes que se a gente perder a terra, tu vais perder a vida”

Por

A frase da mulher do fazendeiro resume a série de ameaças sofridas por Nádia Pinho da Silva, liderança rural em Santana do Araguaia, Pará

Ameaçada desde 1996, Regina sonha viver em paz

Por

Em Eldorado dos Carajás, a migrante cearense que preside o sindicato rural vive escoltada por dois companheiros e não pode conviver com os netos para não expô-los ao risco

Maria do Carmo luta por sua comunidade e pela floresta

Por

Ameaçada de morte, há três anos Du Carmo trabalha para garantir a sobrevivência de sua comunidade em harmonia com a preservação da floresta amazônica

Faça parte

Elas, marcadas para morrer

Por

A partir de hoje, a Pública e o Diário do Pará trazem as histórias de dez mulheres cujas vidas estão ameaçadas por lutarem pelos seus direitos e pela preservação da floresta

Maria Joel da Costa herdou a luta e as ameaças de morte

Por

Viúva, ela virou presidente do sindicato e passou a denunciar o trabalho escravo nas fazendas de Rondon do Pará

Laísa luta pela terra e pela memória da irmã

Por

Irmã de Maria, assassinada junto com Zé Cláudio, diz que o julgamento dos acusados foi pior que o assassinato: “Estão selando três caixões”
Fique por dentro

Receba conteúdos exclusivos da Pública de graça no seu email.