Apoie!

Seja aliada da Pública

Seja aliada

Agência de Jornalismo Investigativo

A Agência Pública lança hoje seu segundo projeto de crowdfunding; leitores vão escolher o que vamos investigar ao longo de todo o ano

imagem 1 - Eu apoio

Há uma inquietação no ar. Nas redes sociais as pessoas afirmam posições, denunciam, discutem, exigem transparência, acusam os meios de comunicação tradicionais de parcialidade, superficialidade, irrelevância.

Se a crítica ao descolamento do jornalismo do interesse público é a pedra fundamental da construção de novas formas de comunicação, a enchente de opiniões despejadas diariamente na internet revela os limites do debate desprovido de informação de qualidade.

Para avançar na discussão democrática, torna-se cada vez mais necessária a dedicação e o rigor da apuração jornalística profissional, pautada no interesse da maioria da sociedade, escavada na realidade das ruas, no cotidiano das comunidades, nos dados e documentos ocultados pelo poder público e pelas empresas que dominam a política e a economia.

A independência, a isenção e a consciência de seu papel de comunicador social são qualidades cada vez mais essenciais ao repórter dos novos tempos. Mais do que nunca, é preciso ir às fontes primárias, examinar as questões sob diversos ângulos, aprofundar, checar e rechecar o apurado em campo para produzir reportagens relevantes e reveladoras, com o poder de alimentar o debate democrático e questionar os donos do dinheiro e do poder.

Reconhecer que o jornalismo é assunto sério demais para deixar a cargo apenas dos jornalistas talvez seja o primeiro passo para que os profissionais estendam as mãos aos leitores interessados em contribuir para a construção de um jornalismo independente, legitimado pela participação social.

É essa a razão de ser do Reportagem Pública 2015, quando a redação da Pública se abre à colaboração do leitor, que vai eleger os temas das investigações e contribuir com a produção das reportagens, em um diálogo constante com editores e repórteres, por ele financiados. O que parecem ser as condições ideais para a produção de informação livre e independente.

A você, leitor, que acredita no jornalismo como instrumento do debate democrático, que considera a informação de qualidade essencial para a tomada de decisão individual e coletiva, é dedicado esse convite. Vamos produzir juntos reportagens que façam a diferença e construir juntos um novo jornalismo, capaz de municiar os cidadãos no legítimo desejo de transformar a sociedade e influir nos rumos do nosso país.

COMO VAI FUNCIONAR 

A partir de hoje, os leitores podem participar do Reportagem Pública 2015, através das doações feitas pelo site:  http://www.catarse.me/pt/reportagempublica2015.

Todos os doadores passam a fazer parte do nosso conselho editorial (o valor das doações é a partir de R$ 20). Os detalhes estão na página do projeto no Catarse.

Nossa meta é arrecadar 50 mil reais até o dia 7 de março. Com o dinheiro, vamos financiar dez reportagens ao longo do ano. No dia 15 de cada mês, três propostas de pauta serão colocadas para votação em um site feito especialmente para o projeto. Depois de escolhido o assunto, o conselho editorial passa a interagir com os repórteres da Agência Pública e a acompanhar de perto a produção da matéria.

Todos vão receber dos repórteres updates e fotos feitos durante a apuração e participar da discussão em um grupo fechado no Facebook. Um dia antes da publicação em nosso site, os leitores conselheiros vão receber a reportagem em PDF no seu e-mail.

Assim que a matéria for publicada, os jornalistas da Pública ficam disponíveis para participar  de hangouts com os leitores sobre a reportagem. Também estão previstos encontros na nossa redação para reunir leitores interessados e repórteres e um dia de workshop prático sobre como planejar e tocar uma pauta investigativa.

Do ponto de vista jornalístico, o mais importante será a possibilidade de investigar assuntos que estão na ordem do dia de acordo com a prioridade dos leitores. Por exemplo: se o projeto começasse hoje, poderíamos propor investigar as propriedades rurais da nova ministra da Agricultura, Kátia Abreu; a crise da água em São Paulo e a gestão da Sabesp; ou a guerra por trás das campanhas eleitorais na internet.

Se você acompanha o nosso  trabalho e quer contribuir com nossa redação, participe!

http://www.catarse.me/pt/reportagempublica2015

Seja aliada da Pública

Faça parte do nosso novo programa de apoio recorrente e promova jornalismo investigativo de qualidade. Doações a partir de R$ 10,00/mês.

Comentários de nossos aliados

 Ver comentários

Esta é a área de comentários dos nossos aliados, um espaço de debate para boas discussões sobre as reportagens da Pública. Veja nossa política de comentários.

Carregando…
Você precisa ser um aliado para comentar.
Fechar
Só aliados podem denunciar comentários.
Fechar

Explore também

Como vota Rio das Pedras, reduto da mais antiga milícia carioca

25 de fevereiro de 2019 | por

Levantamento da Pública mostra quem são os políticos mais votados na favela que ficou famosa após prisão de chefe da milícia ligado a Flávio Bolsonaro

Reprodução Facebook

“Prisão de Assange é vingança pessoal do presidente equatoriano”, diz Rafael Correa

11 de abril de 2019 | por

Em entrevista à Pública, ex-presidente diz que escândalo de corrupção revelado por Assange sobre Lenin Moreno foi definitivo para a decisão – inconstitucional – de retirar a cidadania e o asilo do fundador do Wikileaks

Números não apontam benefícios nas cadeias com participação privada

16 de janeiro de 2017 | por , e

Mesmo defasados, dados oficiais indicam mortalidade maior nos presídios da gestão privada; presença das empresas no setor prisional ainda é tímida

Mais recentes

Em “presidencialismo sem presidente”, Congresso tem que ter “agenda própria”, diz Renan

23 de maio de 2019 | por

Senador do MDB afirma à Pública que manifestação de domingo será decisiva para os rumos do governo e que se fracassarem: “Ou é renúncia, ou golpe, ou impeachment, pode apostar, que são apostas sem muito embasamento enfático ainda”

Eles também são vítimas do Exército

23 de maio de 2019 | por

Assim como nos casos de Evaldo Rosa e Luciano Macedo, familiares de outros jovens fuzilados por soldados no Rio relatam à Pública tentativa de criminalização das vítimas, ausência de socorro e impunidade

“Nós precisamos dar sustentação ao homem que elegemos”

22 de maio de 2019 | por

Em ato durante a AgroBrasília, produtores rurais e representantes de 76 entidades do setor se vestiram de verde e amarelo para defender reformas da Previdência e tributária e pacote anticrime de Moro e “cobrar” lealdade dos parlamentares a projeto do governo

Login para aliados

Participe e seja aliado.

Fechar