AGÊNCIA DE REPORTAGEM E JORNALISMO INVESTIGATIVO

Ciro Gomes exagera dados ao criticar Previdência

Valor destinado a 2% dos beneficiários não corresponde a um terço do total, como afirmou o político do PDT

O ex-governador Ciro Gomes (PDT), em entrevista ao Pânico, da rádio Jovem Pan.

O ex-governador Ciro Gomes (PDT), em entrevista ao Pânico, da rádio Jovem Pan (Foto: Reprodução)

“O problema [da Previdência] é que 2% dos beneficiários levam mais de um terço dos benefícios.” – Ciro Gomes (PDT), pré-candidato à Presidência da República, em entrevista ao programa Pânico, da rádio Jovem Pan

ExageradoO pré-candidato à Presidência e vice-presidente do Partido Democrático Trabalhista (PDT), Ciro Gomes, afirmou em entrevista no dia 9 de agosto que mais de um terço dos benefícios da Previdência Social é destinado a apenas 2% dos beneficiários. O Truco – projeto de checagem de fatos da Agência Pública – analisou a declaração, considerando os diferentes regimes de contribuição existentes no país, e concluiu que Ciro usou um dado exagerado.

A reportagem entrou em contato com a assessoria do candidato repetidas vezes desde o dia 10 de agosto, solicitando a fonte das informações, mas não obteve retorno. Como Ciro Gomes não deixou claro sobre a que regime previdenciário se referia – e a assessoria de imprensa do candidato não respondeu às solicitações –, o Truco checou os números do Regime Geral da Previdência Social (RGPS) e do Regime Próprio da Previdência Social (RPPS).

Todo trabalhador com carteira assinada está automaticamente vinculado ao RGPS e, por isso, aposenta-se pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Já o RPPS é o modelo destinado aos servidores públicos federais.

De acordo com o quadro 12 do Boletim Estatístico da Previdência Social de junho (última edição disponível quando foi produzida esta checagem), que traz os dados do RGPS, o valor total dos 29.404.597 benefícios pagos para aposentados naquele mês foi de R$ 36,5 bilhões (R$ 36.572.781.433). Se forem considerados também os benefícios assistenciais e os benefícios por legislação específica, o total sobe para 34.029.485, que custaram R$ 44,8 bilhões (R$ 44.854.111.408).

A assessoria de imprensa do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão também encaminhou uma tabela com a evolução do número de servidores públicos federais aposentados e pensionistas neste ano. Todos recebem pelo RPPS. De acordo com os números do Painel Estatístico de Pessoal, 634.908 beneficiários receberam R$ 13,3 bilhões (R$ 13.373.253.746) em junho. Desse total, foram pagos R$ 8,5 bilhões (R$ 8.558.386.578) para 394.178 aposentados.

Considerados os dois regimes em conjunto, os beneficiários do RPPS representam 1,8% do total e ficam com 22,96% dos benefícios da Previdência – cerca de um quarto dos recursos. Já os do RGPS são 98,16% e recebem 77,03% do volume. A situação não é muito diferente se for analisada apenas a parcela dos aposentados nesses dois regimes. No RPPS, que tem 1,32% do total, estão concentrados 18,96% dos recursos, ou seja, aproximadamente um quinto da despesa. Já para o RGPS, que conta com 98,67% deles, vai 81,03% do dinheiro.

Os números mostram que uma pequena parcela dos aposentados fica proporcionalmente com um grande volume dos recursos, como quis apontar Ciro Gomes. Mas em nenhum dos cenários analisados pelo Truco o pré-candidato acertou os dados. O presidenciável apontou uma tendência correta, mas exagerou nos números. A assessoria de Ciro – que teve 19 dias para enviar as fontes da afirmação e ignorou o pedido – disse que “o dado ainda reflete uma desigualdade absurda no que diz respeito aos benefícios da Previdência”. Informou ainda que mandaria uma resposta com dados após a publicação do texto, sem definir uma data.

Entenda mais sobre a metodologia e sobre os selos de classificação adotados pelo Truco no site do projeto. Sugestões, críticas e observações sobre esta checagem podem ser enviadas para o e-mail truco@apublica.org ou por WhatsApp e Telegram: (11) 96488-5119.

Tags: , , , , ,

Comentários

Opte por Disqus ou Facebook

  • Simpósio Acadêmico

    1,32% do total, estão concentrados 18,96%…
    Nossaaa… que exagero que ele fez né?!
    Pela manchete parece que ele ta falando um absurdo de exagero…

  • o rei búda

    Além disso, os beneficiários do RPPS (funcionário público), principalmente no topo, CONTRIBUEM MUITO MAIS para a Previdência, inclusive porque continuam contribuindo inclusive aposentados (diferente da aposentadoria do INSS)!

    Os canalhas querem se aproveitar da ignorância e ressentimento da população brasileira.

  • Gabriel

    Ótimo, vocês poderiam fazer também um fact-checking sobre os tais 28 bilhões que ele disse, na mesma entrevista, que sobrariam da previdência este ano. Aproveitando pra perguntar a fonte, que deve ser a mesma da fala analisada aqui (lugar nenhum).

    • Caa

      os 28 bilhoes refere-se ao cálculo do balanço da previdencia considerando que não houvesse a desvinculação das receitas da união. Ou seja, que os tributos de ISLL, COFINS, etc fossem realmente destinados para a seguridade social.

      • Gabriel

        Não. Nem mesmo assim. Há déficit na seguridade social de mais de 100 bilhões, mesmo se a DRU inexistisse.

  • Marcos Forquim Ferreira

    Ele só errou nos percentuais, mas não muito – este é um gargalo que deve ser estancado ou vamos pro inferno…

  • Arthur Fraga

    Esta é uma conta relativa. Temos que considerar – como parece que foi feito pelo Ciro – dois pesos e duas medidas e ponderar o peso de cada um dos regimes. Mas no geral, ELE ESTÁ CERTO. Tem pouca gente ganhando muito e muita gente ganhando pouco. E os privilegiados, quando “perdem” perdem pouco em relação aos altos salários que recebem do Judiciário e Legislativo, principalmente. Enquanto isto querem tungar o povão que ganha pouco, mas como são muitos, tem volume para “cortar”. Este é o modo de colocar o povão “no lugar dele” e os “dórias” da vida viajando o mundo e vestindo roupinhas de grife compradas nas lojas lá fora. Estes parasitas tem tudo a “temer” do Ciro.

No mapa, o trabalho escravo no Brasil

No mapa, o trabalho escravo no Brasil

| por | 31 de outubro de 2017

Levantamento mostra presença de empreiteiros entre a maioria dos empregadores, composta por fazendeiros e empresários do agronegócio. Irmão da senadora Kátia Abreu, que estava na lista divulgada pela Globo, é o único ausente na nova lista do MTE

Os santos perseguidos 7

| por | 1 de novembro de 2017

Crimes de ódio contra praticantes de Umbanda e Candomblé no Rio Janeiro representam 90% dos casos do disque-denúncia estadual; no país, as denúncias de discriminação por motivo religioso cresceram 4960% em 5 anos