Agência de Jornalismo Investigativo

Paula Bianchi

Paula Bianchi é jornalista com foco em política, direitos humanos e meio ambiente. Editora e repórter de Clima na Agência Pública de Jornalismo Investigativo, já passou por veículos como Intercept Brasil, UOL, Folha de S.Paulo, Terra e Agência EFE. Formada pela UFRGS com especialização em Sociologia Urbana pela UERJ, é Jornalista Amiga da Infância pelo Andi, turma de 2021, Women Journo Heroes 2019, pela International Women’s Media Foundation, e menção Honrosa do Prêmio Patrícia Acioli de Direitos Humanos de 2016.


Mais recentes

Moradora olha encosta de morro em bairro de Jardim Monteverde, região limítrofe entre Recife e Jaboatão dos Guararapes, atingido pelas fortes chuvas na Região Metropolitana do Recife

“Política habitacional e de drenagem urbana não se faz de um dia pro outro”, diz urbanista

31 de maio de 2022 | por

Para o professor da UFMG Roberto Andrés, situações como a de Recife tem relação direta com a inação dos governos que precisam repensar as cidades para conviver com eventos extremos

Termômetro de rua na Tijuca registra onda de calor que atinge o Rio de Janeiro, pelo terceiro dia consecutivo, a capital mais quente do país.

Zerar emissões até 2050 já não é suficiente, diz um dos autores de relatório do IPCC

5 de abril de 2022 | por

Para o professor Roberto Schaeffer, especialista em energia, meta acordada entre países não basta; “o que interessa é ter a trajetória para chegar até lá”, diz

Polícia Militar durante patrulhamento do conjunto de favelas da Maré

Ações policiais no Rio de Janeiro juntam brutalidade com ineficiência, critica pesquisador

7 de fevereiro de 2022 | por

Para Daniel Hirata, da UFF, a ADPF das Favelas, julgada no STF, reforça que há formas da polícia agir para resolver crimes sem deixar um rastro de mortes nas periferias

Imagem mostra área alagada e com risco de desabamento, graças às chuvas intensas

2022 e clima: “Não precisamos esperar o futuro, o clima já está mudando”, diz pesquisador

21 de janeiro de 2022 | por

Eventos climáticos extremos serão cada vez mais extremos — e rotina —, diz José Marengo, climatologista classificado pela Reuters como um dos cientistas mais influentes do mundo