Apoie!

Seja aliada da Pública

Seja aliada

Agência de Jornalismo Investigativo

Rogério Daflon

Rogério Daflon era um jornalista com passagens pelas revistas Placar, Época, Veja-Rio e Isto é pelos jornais O GLOBO, O Dia e Jornal do Brasil. Especialista e mestre em planejamento urbano pelo Ippur/UFRJ, venceu a 1ª edição do Prêmio ISWA em Florença com uma série de reportagens que fez ao lado de Emanuel Alencar sobre a gestão de resíduos no Rio de Janeiro. Escreveu dois livros quando era jornalista esportivo. ”Geografia social do esporte”, com Felipe Awi, e ”Heroísmo sem limites’, com João Máximo. Pela Pública, venceu o prêmio Direitos Humanos de Jornalismo em 2017 pela reportagem “O Estado devolveu meu filho morto“.

Mais recentes

“Tenho acesso direto aos assessores de Mourão”, diz presidente do Clube Militar

25 de maio de 2019 | por

Às vésperas da manifestação pró-governo, general Eduardo Barbosa defende a ditadura militar, a economia liberal de Paulo Guedes e até Flávio Bolsonaro, investigado no caso Queiroz: “Causa estranheza ao se ver tanta relevância no caso”

Foi vingança pessoal, diz ex-fiscal do Ibama demitido por governo Bolsonaro

29 de março de 2019 | por

“Bolsonaro incorporou discurso antiambiente a fim de levar a cabo uma vingança pessoal, que se consumou agora com meu afastamento”, diz, em entrevista, fiscal que multou o presidente por pesca ilegal em 2012

Coleção Particular

27 de novembro de 2017

Produto do quarto LAB realizado na Casa Pública, este especial transmidia investiga o roubo de espaços públicos por agentes privados - muitas vezes com a conivência de governos.

Rodrigo Maia, o filho de Cesar

2 de junho de 2017 | por

Levado à política pelo pai, eleito presidente da Câmara com ajuda do sogro, Moreira Franco, o deputado agora pode vir a substituir Temer ou conduzir um eventual processo de impeachment

Anatomia de um crime

23 de março de 2017 | por

Repórter da Pública percorre a história do Maracanã, patrimônio cultural destruído com autorização do Iphan e abandonado pelo poder público depois de mais de R$ 1,3 bilhão gasto em obras suspeitas de alimentar a corrupção

O Estado devolveu meu filho morto

7 de dezembro de 2016 | por

A trágica morte de dois adolescentes após um incêndio no Degase no dia da abertura da Olimpíada revela a falência da política de recuperação de jovens no Rio

O Porto Maravilha é negro

19 de julho de 2016 | por

Construído na região que abrigou o maior porto negreiro das Américas, projeto da prefeitura “lembra pra esquecer” essa herança; debaixo da atração turística há milhares de ossos de escravos traficados, dizem especialistas

O maior mistério da Olimpíada

30 de maio de 2016 | por

Seis vigas de aço pesando 110 toneladas simplesmente desapareceram em meio às obras para o Porto Maravilha. Nosso repórter foi atrás dessa história e da fracassada investigação policial