Apoie!

Seja aliada da Pública

Seja aliada

Agência de Jornalismo Investigativo

Natalia Viana

Codiretora e editora

Natalia Viana é jornalista há 20 anos, diretora e co-fundadora da Agência Pública e Jornalismo Investigativo. É autora e co-autora de quatro livros sobre violações direitos humanos: Plantados no Chão (Conrad, 2007), Jornal Movimento, uma Reportagem (Manifesto, 2010) e Habeas Corpus: Que Se Apresente o Corpo (Secretaria de Direitos Humanos, 2010) e o e-book O Bispo e Seus Tubarões, sobre o impeachment de Fernando Lugo no Paraguai (Agência Pública, 2013). Como repórter e editora, venceu diversos prêmios de jornalismo,  entre eles o Prêmio Vladimir Herzog de Direitos Humanos (2005/2016), o prêmio Comunique-se (2016/2017), o Prêmio Trofeu Mulher Imprensa (2011/2013) e o prêmio Gabriel García Márquez (2016). Em 2016, foi a jornalista brasileira mais premiada. Em 2019, sua série Efeito Colateral, sobre civis mortos pelo Exército, foi finalista do prêmio Shining Light Award, da Rede Global de Jornalistas Investigativos.

Em 2018, foi reconhecida como empreendedora social da rede Ashoka e passou a integrar o Conselho Reitor da Fundação Gabriel García Márquez. Escreve colunas de opinião para o New York Times em espanhol e o site El Diario, na Espanha.

CHAVE PGP A697CBC1D5109E76


Brazil Arms Exports: Country Preaches Peace, Sells Tons Of Arms

5 de março de 2012 | por e

Brazilian government pushes for more exports of light arms, while the industry lacks transparency. In 5 years Brazil exported 4,5 millions of guns and weapons

Indústria Brasileira de Armas

28 de janeiro de 2012

Série especial que investiga o papel do Brasil como exportador de armas leves

Brasil, produtor e exportador de armas

27 de janeiro de 2012 | por e

De maneira pouco transparente, governo incentiva crescimento da indústria. Levantamento inédito do Exército revela que em 5 anos exportamos 4,5 milhões de armas leves

Empresas de armas miram África e Ásia para ampliar exportações

27 de janeiro de 2012 | por e

Com apoio da diplomacia brasileira, empresas buscam mercado em países com violações de direitos humanos. Armas e munições foram para Tunísia, Paquistão e Iêmen

Em cinco anos, 4,3 milhões de armas nas ruas

27 de janeiro de 2012 | por e

Nos últimos 5 anos foram comercializadas 4,3 milhões de armas no Brasil – somente de fabricantes nacionais. Número é bem maior do que se estimava. Indústria não revela produção.

Julian Assange’s WikiLeaks: Ten Days That Changed The World

15 de dezembro de 2011 | por

As Assange fights against extradition to Sweden, a collaborator tells for the first time the story of the group that gathered a year ago to prepare the biggest leak in history.

Jornal Movimento, uma reportagem

15 de dezembro de 2011 | por e

Este livro conta a história do semanário Movimento, que circulou entre 1975 e 1981. Um jornal sem patrão, tocado pelos próprios jornalistas, que venceu a censura e promoveu a democracia em plena ditadura. Autores: Carlos Azevedo, Marina Amaral e Natalia Viana

Plantados no Chão

14 de dezembro de 2011 | por

Publicado em junho de 2007, o livro Plantados no Chão é uma compilação de mais de 180 casos de militantes assassinados nos primeiros 3 anos do governo Lula por causa da sua convicção. É uma tentativa de entender esses assassinatos, buscar estabelecer que padrão eles seguem, por que eles acontecem e perguntar como continuam a ocorrer em um governo que foi eleito com o apoio desses mesmos movimentos sociais. Autora: Natalia Viana

Especial Haiti

27 de setembro de 2011

Série de reportagens com base em entrevistas em campo, documentos e correspondência diplomática do Wikileaks

HAITI: "Aba Minustah"

27 de setembro de 2011 | por e

Às vésperas de mais uma renovação da missão de paz, manifestantes pedem a saída das tropas da ONU comandadas pelo Brasil; documentos confirmam rumores de golpe contra Aristide

Parte II: O papel do Brasil é "impor a paz"

27 de setembro de 2011 | por e

Segundo fonte, tropas brasileiras foram contatadas pelo Comando Sul americano antes da queda de Aristide; estratégia de pacificação nas favelas haitianas serviram de base para as UPPs

Parte III: Mais abusos, menos punições

27 de setembro de 2011 | por e

Relatórios da controladoria da ONU revelam outros abusos sexuais envolvendo soldados da Minustah; para ex-diretora, soldados repatriados não são devidamente punidos