Agência de Jornalismo Investigativo

Candidato do PT diz que quintuplicou o Orçamento da pasta na sua gestão, mas aumento foi de três vezes

24 de setembro de 2018
15:00
Este texto foi publicado há mais de 4 anos.
Sérgio Silva/Partido dos Trabalhadores
Haddad em ato realizado em São Paulo em janeiro: dinheiro para educação cresceu menos do que o anunciado pelo político na sua gestão
Haddad em ato realizado em São Paulo em janeiro: dinheiro para educação cresceu menos do que o anunciado pelo político na sua gestão

“Eu participei do governo Lula como ministro da Educação. Você veja que o Ministério da Educação quase quintuplicou as suas verbas no período.” – Fernando Haddad (PT), em encontro com estudantes em São Paulo.

ExageradoEm entrevista feita depois de um encontro com estudantes cotistas e adeptos do ProUni, o candidato à Presidência pelo PT, Fernando Haddad, relembrou seu período à frente do Ministério da Educação (MEC) e disse que o orçamento da pasta quase quintuplicou durante sua gestão. Haddad ocupou o cargo no período entre 29 de julho de 2005 e 24 de janeiro de 2012.

Para checar se a frase está correta, o Truco – projeto de checagem de fatos da Agência Pública – analisou o orçamento do MEC nos anos de 2006 a 2012. Nesse intervalo, o valor reservado pela pasta aumentou de R$ 29,1 bilhões para R$ 90,6 bilhões, em valores correntes. O acréscimo foi de 211%, o que significa que o orçamento foi multiplicado por 3,1 vezes – e não por quase 5 vezes, como afirma Haddad. Assim, a afirmação foi classificada como exagerada.

O dado, informado pela assessoria de imprensa do MEC, é relativo ao orçamento da administração direta e indireta do ministério, incluindo o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e a cota-parte do Salário Educação.

Dados disponíveis nas leis orçamentárias aprovadas na Câmara dos Deputados para os anos de 2006 a 2012 também desmentem a afirmação do candidato. O montante aprovado pelos deputados para o Ministério da Educação em 2006 foi de R$ 21,67 bilhões contra R$ 74,28 bilhões em 2012. Se descontada a inflação acumulada no período, que foi de 34,76% de acordo com o índice Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o orçamento foi de R$ 29,20 bilhões para R$ 100,10 bilhões. Mesmo quando considerado esse valor ao invés do orçamento executado informado pelo ministério, o aumento na dotação é de 3,4 vezes, ainda inferior ao indicado por Haddad.

Precisamos te contar uma coisa: Investigar uma reportagem como essa dá muito trabalho e custa caro. Temos que contratar repórteres, editores, fotógrafos, ilustradores, profissionais de redes sociais, advogados… e muitas vezes nossa equipe passa meses mergulhada em uma mesma história para documentar crimes ou abusos de poder e te informar sobre eles. 

Agora, pense bem: quanto vale saber as coisas que a Pública revela? Alguma reportagem nossa já te revoltou? É fundamental que a gente continue denunciando o que está errado em nosso país? 

Assim como você, milhares de leitores da Pública acreditam no valor do nosso trabalho e, por isso, doam mensalmente para fortalecer nossas investigações.

Apoie a Pública hoje e dê a sua contribuição para o jornalismo valente e independente que fazemos todos os dias!

Truco

Este texto foi produzido pelo Truco, o projeto de fact-checking da Agência Pública. Entenda a nossa metodologia de checagem e conheça os selos de classificação adotados em https://apublica.org/truco. Sugestões, críticas e observações sobre esta checagem podem ser enviadas para o e-mail truco@apublica.org e por WhatsApp ou Telegram: (11) 99816-3949. Acompanhe também no Twitter e no Facebook. Desde o dia 30 de julho de 2018, os selos “Distorcido” e “Contraditório” deixaram de ser usados no Truco. Além disso, adotamos um novo selo, “Subestimado”. Saiba mais sobre a mudança.

Leia também

Marina Silva participa de evento da CNA, em agosto de 2018: não há estudos que confirmem dado citado pela candidata

Marina Silva usa dado inexistente sobre leitos ociosos no SUS

20 de setembro de 2018 | por

Candidata da REDE afirma que taxa de ociosidade no sistema é de 50%, mas ministério não possui estatística nacional

Geraldo Alckmin (PSDB) discursa durante o evento da União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços (Unecs), em agosto: total de homicídios em SP superou o de cidades americanas citadas

Com dado discutível, Alckmin diz que homicídios em Washington e Chicago superam SP

19 de setembro de 2018 | por

Candidato fez comparação para tentar mostrar seu bom desempenho na área de segurança, mas frase pode ser interpretada de duas maneiras

Secretaria Symmy Larrat

Secretária LGBTQIA+ quer transformar auxílio para pessoas trans em política federal

24 de janeiro de 2023 | por

Symmy Larrat coordenou o Transcidadania, que oferece bolsa para educação e profissionalização em SP

Mais recentes

Seguranças da BBF

BBF faz “cruzada judicial” contra autoridades que investigam conflitos em dendezais no PA

30 de janeiro de 2023 | por

Promotores, procuradores e policiais que trabalham com comunidades tradicionais são assediados processualmente
Indígenas yanomamis sentados ao lado de placa da Funai que atesta o território como terra protegida pelo governo federal

Garimpo ilegal utilizou base da Funai que deveria proteger Yanomami, mostra ofício inédito

27 de janeiro de 2023 | por

Documento de 2021 cita helicópteros clandestinos, homens armados e garimpo utilizando estrutura do governo dentro da TI
Governador Mauro Mendes

Gravações colocam governador do MT sob suspeita de tramar contra jornalista

26 de janeiro de 2023 | por

Infiltrado no esquema, repórter denunciou intenção de atingir o colega, Alexandre Aprá, que desagradava governador