Agência de Jornalismo Investigativo

Repórteres vão investigar a relação das crianças com a água em cinco estados brasileiros

25 de maio de 2015
Banho na Viela. Jardim Ibirapuera, Zona Sul/SP. Foto: Joseh Sillva
Banho na Viela. Jardim Ibirapuera, Zona Sul/SP. Foto: Joseh Sillva

Desde o dia 15 de abril recebemos 77 inscrições para o Concurso de Microbolsas para Reportagens sobre Criança e Água. É a quinta edição do concurso promovido anualmente pela Pública, desta vez em parceria com o projeto Prioridade Absoluta, do Instituto Alana.

A ideia é investigar como as crianças de todo o Brasil são afetadas pela escassez e má gestão da água. Segundo o artigo 227 da Constituição, os direitos das crianças são prioritários e devem ser garantidos pela família, sociedade e Estado.

As pautas vieram de 16 estados. Desses, cinco foram contemplados pelas pautas vencedoras. Nos próximos meses, as novas microbolsistas vão realizar reportagens sobre questões relacionadas com criança e água em São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Ceará e Pará.

“As propostas de pautas foram bem apuradas, abordando questões essenciais, muitas delas não cobertas pela mídia tradicional, em que se percebe o engajamento do repórter em seu trabalho”, diz Marina Amaral, uma das diretoras da Agência Pública. As pautas selecionadas serão produzidas com a mentoria da Pública, que vai orientar as repórteres e editar as matérias, respeitando sempre a independência do repórter – um dos valores fundamentais da organização.

“Selecionar as cinco propostas finais foi uma tarefa árdua, já que as 77 enviadas possuíam muita qualidade. Buscamos contemplar na seleção tanto a diversidade regional quanto a amplitude do tema ‘Criança e Água’.  Acreditamos que a produção das cinco reportagens investigativas será muito proveitosa para fomentar o debate sobre o direito à água, ressaltando a prioridade absoluta das crianças salvaguardada pela Constituição”, diz Renato Godoy, do Instituto Alana.

Conheça as vencedoras do Concurso de Microbolsas para Reportagens sobre Criança e Água:

Camila Neves Camilo – Jornalista formada pela Universidade de São Paulo (USP) com passagens pelas redações de Época e Nova Escola e pela assessoria de comunicação da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo.

Cibelih Hespanhol Torres – Jornalista formada pela Universidade Federal de Viçosa foi colaboradora do Outras Palavras e trabalha atualmente no Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas, ONG de agroecologia e direitos de povos e comunidades tradicionais. Vai realizar a pauta em parceria com João Roberto Ripper, repórter e fotógrafo conhecido por seu trabalhado relacionado a direitos humanos publicado em veículos como New York Herald Tribune, Revista Caros Amigos e Revista Veja; e com Helen Santa Rosa, comunicadora social e jornalista com dez anos de atuação voltada para a comunicação comunitária e articulação de redes.

Sarah Oliveira Fernandes – Formada em Jornalismo pela PUC-SP em 2008 e em Geografia pela USP em 2013. Trabalha como repórter há seis anos, sempre cobrindo temas relacionados a direitos humanos, cidadania, saúde e educação. Passou pelas redações da ONU-Brasil, do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), do Portal Aprendiz e da Rede Brasil Atual, onde trabalha desde 2012.

Thays Mariana de Oliveira Lavor – Profissional formada em 2010 em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade de Fortaleza (Unifor). Com cinco de anos de experiência profissional, já passou pela redação do Jornal Diário do Nordeste, onde um de seus trabalhos – a série Mercado do Vício – obteve terceiro lugar no Prêmio SinDH Rio de Jornalismo em Saúde. Atualmente atua como colaboradora do Jornal O Globo.

Yamini Benites – Graduanda de jornalismo pela UFRGS, tem experiência em veículos alternativos (Jornal Tabaré) e como repórter fotográfica free lancer. Atua na produção do Nação da TVE/TV Brasil. A pauta será realizada em parceria com Gabrielle de Paula e Luiz Felipe Abreu, também estudantes de jornalismo da UFRGS. Luiz, com passagem pelo Jornal do Comércio e pela assessoria do TRF, tem experiência em jornalismo cultural e jurídico. Gabrielle atuou na mídia independente pelo JornalismoB e hoje trabalha na TVE, TV pública do RS.

Já nesta semana, as vencedoras começam a conversar com as diretoras da Pública sobre as pautas, prazos e rumos das reportagens. Parabéns e boa sorte a todos!

Mais recentes

Governo liberou registros de agrotóxicos altamente tóxicos

18 de janeiro de 2019 | por e

Entre eles está o Sulfoxaflor, liberado nos últimos dias do ano passado, que já foi acusado de exterminar as abelhas nos EUA

Registros de novas lojas de armas aumentaram mais de 1.000% em 15 anos

17 de janeiro de 2019 | por e

Novos registros concedidos pelo Exército para estabelecimentos comerciais foram de 16 em 2003 para 206 em 2018, segundo dados obtidos pela Lei de Acesso à Informação; maior concentração é na Região Sul do país

“Associar-se a Trump não vai ajudar o Brasil”, diz presidente emérito da Inter-American Dialogue

15 de janeiro de 2019 | por

Para Peter Hakim “boa imagem” do Brasil pode ser prejudicada por ligação com Trump, “que já criou uma certa resistência em quase o mundo todo”; ele também não vê consequências práticas de“ afinidades pessoais”entre Bolsonaro e Trump

Explore também

A faculdade estatizada no Mato Grosso

30 de junho de 2017 | por

Instituição criada por Gilmar Mendes e sua família em Diamantino foi incorporada pelo Estado no governo de Silval Barbosa, amigo do ministro do STF; Ministério Público investiga a legalidade do negócio de R$ 7,7 milhões. Executivo reconhece que não tem recursos para manter a unidade como determina a lei

Mino Carta conta a Copa de 50: “A Fifa não era esta coisa vergonhosa”

7 de março de 2012 | por

O jornalista e diretor de redação da Carta Capital cobriu o evento quando tinha 15 anos para veículos italianos: “O Brasil era o país ideal”

Mordida do leão poupa lucros de super-ricos e mira nos salários

27 de abril de 2018 | por

Forma como Imposto de Renda é calculado isenta maior parte dos rendimentos de quem recebe acima de 320 salários mínimos e onera a maioria dos contribuintes, revela levantamento da Pública